CORREIO DO POVO
PORTO ALEGRE, SEXTA-FEIRA, 15 DE FEVEREIRO DE 2002

Prefeitura não homologa a vitória




17PREFEI.jpg Bambas é campeã do carnaval, mas a Prefeitura não reconhece


A Prefeitura de Porto Alegre não reconheceu o resultado do concurso entre as escolas do Grupo Especial, que consagrou os Bambas da Orgia como campeã do carnaval de rua. 'A resposta dos jurados é consequência direta dos atos praticados naquela noite', afirmou a presidente da azul e branco, Rosalina Conceição, a Rose, logo após a apuração, que deixou a Imperadores na terceira colocação. A secretária municipal de Cultura, Margarete Moraes, se retirou da avenida Augusto de Carvalho no início da apuração do Grupo Especial. Os prêmios que seriam pagos às campeãs - R$ 5 mil para o primeiro, R$ 3 mil para o segundo e R$ 2 mil para o terceiro - foram cancelados.

A SMC vai cobrar da Associação das Entidades Carnavalescas (Aecpars) que as irregularidades sejam apuradas e exigirá medidas punitivas contra os causadores do tumulto. 'Os responsáveis terão que pagar os custos relacionados à depredação de bens públicos', declarou ela, referindo-se à quebra do canteiro central da Loureiro da Silva e a derrubada de uma parada de ônibus. O convênio entre a Prefeitura e as entidades carnavalescas, que liberou 58 mil reais a cada escola do Especial, também será revisto para 2003. Já a entidade não admite virada de mesa e afirma que cumpriu sua parte no convênio. Em nota oficial, garantiu que serão apurados os responsáveis de acordo com o estatuto. A escola que ficou em último lugar não será rebaixada. Em 2003, oito agremiações desfilarão no Especial e duas serão rebaixadas. O presidente do Conselho, Adolfo Giró, disse que será convocada uma assembléia geral com os 24 presidentes de escolas.



Correio do Povo
Porto Alegre - RS - Brasil