CORREIO DO POVO
PORTO ALEGRE, SÁBADO, 5 DE JANEIRO DE 2002

Audiência pública discute trem-bala gaúcho
Reunião será realizada em Tramandaí, na próxima quinta-feira, para analisar projeto de ligação ferroviária entre Capital e Litoral




05AUDIEN.jpg Primeira fase ligaria Porto Alegre a Torres em 50 minutos. A segunda iria a Pelotas


Uma viagem entre Porto Alegre e Tramandaí em 25 minutos. Até Torres, outros 25 minutos. Esse tempo de percurso permitiria até morar no Litoral e trabalhar na Capital, vindo e indo diariamente, sem estresse de trânsito, usufruindo de toda a qualidade de vida que a zona litorânea pode oferecer. Pelo projeto do deputado Paulo Azeredo (PDT), isso seria possível, pois o trem-bala gaúcho percorreria 350 quilômetros por hora, 'com conforto de um trem, preço de uma passagem de ônibus e rapidez de um avião'. O parlamentar está buscando apoio do meio empresarial e de entidades governamentais para que o projeto seja efetivado. 'A Fiergs, a Trensurb e a Secretaria dos Transportes já manifestaram apoio, disponibilizando profissionais para estudar o assunto', afirma Azeredo. Na próxima quinta-feira, o tema estará sendo discutido em audiência pública na Prefeitura de Tramandaí.

A idéia do deputado surgiu durante uma viagem entre Sevilha e Madri, na Espanha, quando a comitiva gaúcha que viajava a trabalho percorreu 550 quilômetros em duas horas. 'A grande maioria das casas ficam fechadas, sendo utilizadas apenas em época de veraneio ou eventualmente durante finais de semana. Por que, então, não morar na praia, com menor custo e maior qualidade de vida?', questiona o deputado.

A inovação tecnológica, orçada em R$ 800 milhões, também representaria atração de novos investimentos, gerando cerca de 5 mil empregos diretos e 35 mil indiretos, conforme estimativa do parlamentar. 'Haveria estímulo ao turismo, às aplicações imobiliárias, ao desenvolvimento industrial', ressalta. Pelo projeto, a primeira fase do trem-bala sairia de Porto Alegre e passaria por Viamão, Cidreira, Tramandaí e Capão da Canoa até chegar a Torres. A segunda fase estudada seria implantada junto com o projeto de trens de carga, que está sendo viabilizado pelo governo do Estado com o governo da China, e ligaria a região Metropolitana a Pelotas, cruzando por Guaíba e Camaquã. 'A idéia é chegar até o Chuí. A obra conjunta seria menos onerosa, devido às desapropriações', diz Azeredo.



Correio do Povo
Porto Alegre - RS - Brasil