CORREIO DO POVO
PORTO ALEGRE, SEXTA-FEIRA, 11 DE FEVEREIRO DE 2005

Restinga leva título em apuração tumultuada




22RESTIN.jpg Em desfile pouco concorrido, Tinga vence por 0,1 ponto


A escola Estado Maior da Restinga é a grande campeã do Carnaval de Porto Alegre após uma apuração tumultuada, que provocou um atraso de três horas. A vitória foi definida por detalhes. A diferença entre a primeira e segunda colocada foi de 0,1. A Imperatriz Dona Leopoldina, que homenageou o bailarino Carlinhos de Jesus, superou as duas escolas mais tradicionais. Bambas da Orgia conseguiu apenas o terceiro lugar e a Imperadores do Samba, o quarto. Em 2004, as duas foram campeãs.

O resultado não surpreendeu, já que nenhuma das sete escolas do Grupo Especial encheu os olhos do público. Com desfiles modestos, reflexo da falta de recursos financeiros, as escolas tiveram notas parecidas. A Samba Puro, em último lugar, passa a desfilar no Grupo A, substituindo a Copacabana, que caiu para o B. A Império da Zona Norte é a nova integrante do Especial.

A apuração, na tarde de ontem no Complexo Cultural Porto Seco, mais uma vez registrou brigas entre as diretorias das escolas e conflitos entre as torcidas. Pela primeira vez, a Comissão Organizadora optou por divulgar as campeãs do Grupo Especial antes dos demais grupos, como acontece em São Paulo e Rio de Janeiro. Mas a prática dos recursos contra as adversárias voltou. As seis escolas, Samba Puro, Praiana, Restinga, IAPI, Bambas da Orgia e Dona Leopoldina, ingressaram com recurso contra a Imperadores do Samba, sob a acusação de merchandising na avenida, ao servir chopp em copo de refrigerante. Em seguida, a Praiana protestou contra os Bambas, que utilizou fogos de artifício, e contra a Imperadores, pela ausência de 27 baianas. A Comissão Julgadora considerou improcedente as denúncias, o que revoltou alguns presidentes.

Enquanto as torcidas da Tinga e da Imperadores batiam boca nas arquibancadas, a apuração dos demais grupos, A, B e Acesso, que ocorreria antes do Especial, também foi suspensa. A polícia reforçou o efetivo, até com o Grupamento de Operações Especiais (GOE), que foi deslocado para o Porto Seco para garantir a segurança do público. Ao contrário do que acontece no Rio de Janeiro e em São Paulo, a divulgação das campeãs em Porto Alegre tem revelado nos últimos anos a falta de profissionalismo de alguns presidentes e o desrespeito ao regulamento do Carnaval, que raramente serve para dissolver estes conflitos.




Correio do Povo
Porto Alegre - RS - Brasil