CORREIO DO POVO
PORTO ALEGRE, SÁBADO, 13 DE FEVEREIRO DE 1999

Sandra prepara fantasias para sete desfiles




10SANDRA.jpg Carnavalesca acumula prêmios


Nas madrugadas que antecederam ao Carnaval, a pesquisadora Sandra Maia perambulou pelos barracões. Não por curiosidade, mas por respeito às entidades carnavalescas. E, se porventura percebesse que havia necessidade de apoio na finalização das alegorias, mãos à obra. 'Eu tenho conhecimento das dificuldades enfrentadas pelas escolas de samba e, por este motivo, resolvi ajudar', explica. Aos 48 anos, ela admite publicamente a paixão pelos Bambas da Orgia. E, ao mesmo tempo, não esconde a mágoa: 'Nunca fui convidada para desfilar na azul-e-branco.'

Aos 48 anos, ela trabalha há 12 anos pelo Carnaval de Porto Alegre. No entanto, é vista na Passarela do Samba há pelo menos 18 anos. 'De 1987 para cá já fiz de tudo. Lembro que, em 1991, na Filhos da Candinha, confeccionei as 260 coberturas dos integrantes da bateria. Também fui responsável pela confecção das fantasias da Comissão de Frente, da Ala Infantil, do mestre-sala Marcio e da porta-bandeira Deise', revela. Foram dois meses de trabalho exaustivo. 'Dormia em cima de rolos de espuma. Mas na última madrugada, adormeci no piso', complementa.

No Carnaval, Sandra Maia já fez de tudo. Como porta-estandarte, acumula 12 prêmios. 'Em 1981, fui porta-estandarte da Academia de Samba Relâmpago', diz. Mas nem tudo é recheado de plumas e paetês na memória desta carnavalesca que vibra por todas as escolas e que sofre quando o destino lhes reserva surpresas desagradáveis. Neste ano, ela será vista na Augusto de Carvalho em pelo menos sete oportunidades. E com fantasias diferentes. 'Desejo que minha neta Gabriela, de três anos, seja uma passista', revela. A tarefa não será nada fácil. A primeira missão é convencer o filho, Sandro Bigode, que é baixista da banda Old Friends Blues, a deixar a menina a acompanhá-la nas andanças carnavalescas.



Correio do Povo
Porto Alegre - RS - Brasil