CORREIO DO POVO
PORTO ALEGRE, DOMINGO, 14 DE FEVEREIRO DE 1999

IAPI exibe casal de mestre-sala e porta-bandeira




12IAPIEX.jpg Chula e Cristiane querem marcar um novo estilo na avenida


Passos acelerados, saltos e giros marcam o estilo do casal de mestre-sala e porta-bandeira Antônio Ricardo Silveira, o Chula, e Cristiane Santos Silva. Desfilando neste ano pela União da Vila do IAPI, a dupla lembra os casais do Rio de Janeiro e alcança o diferencial em relação à maioria das duplas gaúchas, normalmente marcada pelo estilo clássico. Ensaiando há apenas cinco meses juntos, Chula e Cristiane acertaram a sintonia e já encantam o público na quadra da escola. Na busca da perfeição eles seguem alguns princípios: profissionalismo, elegância e postura. Chula ressalta que a prioridade na evolução deve ser dada à bandeira, estando em segundo lugar a porta-bandeira e, em terceiro, o mestre-sala, que atua como um verdadeiro guardião do conjunto.

Freqüentador de CTGs quando pequeno, o mestre-sala recebeu o apelido da dança que melhor desempenhava. A prática da chula, com certeza, garante a agilidade nas pernas. Entretanto, ser mestre-sala não estava nos planos de Chula, que iniciou no Carnaval aos 10 anos, na bateria da Praiana. Após, seguiu como diretor da comissão de frente da extinta Beija-Flor do Sul e da Copacabana. Foi nesta última que, pela primeira vez, foi convidado a atuar como mestre-sala. Em 1995, ele passou para a União da Vila do IAPI. 'Eu sempre pedia para ser mestre-sala, até que, no ano passado, me enxergaram', diz ele, agradecendo à Deus.

Cristiane desfilou em 1997 como 4ª porta-bandeira nos Bambas da Orgia e, em 98, como 1ª na Praiana. Convidada pela Vila do IAPI, ela não hesitou em aceitar.



Correio do Povo
Porto Alegre - RS - Brasil