CORREIO DO POVO
PORTO ALEGRE, DOMINGO, 14 DE FEVEREIRO DE 1999

Rio Pardo vive sua grande noite




14RIOPAR.jpg Santa Cruz do Sul compete com Rio Pardo em brilho e beleza


Um dos mais tradicionais desfiles de rua de Carnaval da região do Vale do Rio Pardo terá hoje sua noite mais esperada. Este ano participam do desfile de Rio Pardo três escolas de samba da classe A e uma pela B, além dos quatro blocos que estiveram ontem na avenida. Os próprios carnavalescos são os responsáveis pelo sucesso dos desfiles de Rio Pardo, pois cada escola trabalha com recursos próprios. Hoje é a vez de as escolas de samba entrarem, a partir das 20h30min, na rua Andrade Neves. Serão avaliados seis quesitos: comissão de frente, alas, bateria (com no mínimo 40 integrantes na classe A e 30 na B), ala das baianas com pelo menos oito mulheres vestidas iguais, porta-bandeira e mestre-sala e o puxador do samba-enredo.

A presença de carros alegóricos não é obrigatória. Fantasias, alegorias, adereços, tema-enredo, evolução, harmonia e conjunto serão avaliados. O resultado do concurso dos blocos será conhecido nesta segunda-feira. Na terça, a comissão julgadora divulga e entrega a premiação para os vencedores entre as escolas de samba. A prefeitura participa do evento apenas com uma ajuda de custo no valor de R$ 1,3 mil para as escolas da classe A, R$ 960,00 para as da classe B e R$ 690,00 para os blocos. A Rainha Regional, Aline Figueiredo Silva, e a Primeira Princesa, Daniela Cristina Ramos, são da Realiza da Vila, de Rio Pardo, e também participam do desfile ao lado da princesa Claudine Frantz Lemes e do Rei Momo Magno.

Em Santa Cruz do Sul, também no Vale do Rio Pardo, este ano não haverá concurso para premiar a melhor escola de samba. Apesar disso, as agremiações desfilaram ontem e, a partir das 21h de amanhã, voltam para a rua Galvão Costa. A primeira a entrar na passarela será a SER Esperança, enquanto a Imperatriz do Sol, a grande campeã do ano passado, fará o encerramento. O fator que mais pesou para a não realização do desfile deste ano foi a falta de recursos. Muitas escolas de samba ainda não conseguiram pagar as dívidas contraídas no Carnaval do ano passado. Como forma de incentivar pelo menos a realização do desfile, a prefeitura optou por destinar este ano uma ajuda de custo às escolas no valor de R$ 30 mil. Cada agremiação recebeu R$ 5 mil. Este ano as escolas não podem sair com menos de 150 integrantes. Pela ordem, desfilam Sociedade Esperança, Sociedade Beneficente 13 de Maio, Unidos de Santa Cruz, Mocidade Imperial, Acadêmicos do União e Imperatriz do Sol.



Correio do Povo
Porto Alegre - RS - Brasil