CORREIO DO POVO
PORTO ALEGRE, SEXTA-FEIRA, 10 DE MARÇO DE 2000
O Carnaval 2000 é da Imperadores


 

A Imperadores do Samba foi a grande vencedora do Carnaval 2000 de Porto Alegre. A escola retoma o título após o vice-campeonato do ano passado. A Estado Maior da Restinga, sua maior rival nos últimos carnavais, ficou com o 2o lugar. A diferença foi de 1,5 ponto. Os quesitos Evolução e Bateria acabaram definindo o campeonato para a vermelho e branco, já que a saída dos ritmistas da Restinga do recuo ocorreu de forma imperfeita, prejudicando a evolução de uma das alas, gerando descontos na pontuação da escola. A União da Vila do IAPI ficou em terceiro, com 1,5 ponto atrás da Tinga. A surpresa ficou por conta da quarta colocação da escola de Viamão, a Vila Isabel. Já os Bambas da Orgia não resistiram à perda de 10 pontos com a ausência de carros alegóricos em seu desfile, e ficaram na última colocação, sendo rebaixados para o grupo Intermediário A.

A Academia de Samba Praiana foi a campeã do grupo Intermediário A e, assim, retorna ao convívio das grandes escolas em 2001. Neste grupo, foram rebaixadas as escolas Figueira, Areal da Baronesa e Filhos da Candinha. No grupo Intermediário B, a vitória ficou com a União da Tinga. As escolas rebaixadas foram a Mocidade de Esteio, Unidos do Guajuviras e Acadêmicos da Orgia. O título no grupo de Acesso foi para a Salgueiro, de Esteio. Já Os Comanches foram os campeões entre as tribos carnavalescas.

Durante a apuração dos votos, iniciada com 1h40min de atraso, e que contou com um público de mais de 5 mil pessoas, as torcidas travavam uma batalha de gritos de guerra e palavras de ordem nas arquibancadas. De um lado, as torcidas das duas escolas de samba da Restinga, reforçados pelos integrantes do Salgueiro, de Esteio, provocavam os torcedores da Imperadores e da Samba Puro, que respondiam às agressões verbais. Após a divulgação da primeira nota de Alegorias, e com o título já garantido, a torcida da vermelho e branco invadiu a passarela do samba e quase houve briga generalizada. Os cem brigadianos que faziam a segurança do local não tiveram condições de evitar a invasão da avenida. Em meio ao tumulto, o presidente da Imperadores, Roberto Barros, o Betinho, emocionado, declarou: 'Este título era muito esperado, pois fizemos o melhor desfile do ano. Desta vez, não houve manipulação nos resultados.' Já o vice-presidente do Conselho da Restinga, Abel Felix, disse que 'a Tinga foi roubada. Tivemos que desfilar pela manhã, por causa do atraso das apresentações, e não pudemos mostrar as luzes dos nossos carros. Porto Alegre não merece o carnaval da Tinga'.
 
 


Correio do Povo
Porto Alegre - RS - Brasil