CORREIO DO POVO
PORTO ALEGRE, TERÇA-FEIRA, 24 DE FEVEREIRO DE 2004
Samba-enredo

IMPÉRIO DO SOL

'Pelotas, a capital francesa, no 
Rio Grande do Sul do século XIX'
Compositores: Arilson Trindade e Claudinho
Intérprete: Joel Alves
Porto Alegre vai tremer
Pelotas hoje é a capital
no meu Rio Grande
São Léo canta outra
neste carnaval.
Mergulho no mar de prosperidade
e prosperou, fazendo então nascer uma cidade
até o índio viu que tudo então mudou
e pela mão escrava a charqueada virou ouro
tornando com certeza
o grande centro industrial
fazendo despertar a ganância imperial
que manda Lima e Silva aos farrapos combater
e essa ninguém vai querer perder.
Vem lanceiro negro
a luta agora é pra valer
a Império contra-ataca
eu já sei quem vai vencer.
Quem vem da França 
traz a cultura, o requinte, a vaidade
fazendo mudar o astral
criando uma nova sociedade
hoje Pelotas tem mais vida, mais amor
na poesia, no teatro e nos salões
é arte, é cultura, razão de viver
Pompílio isto nos faz lembrar você.
Tem drag-queens, pierrôs e colombinas
e nesse palco todos vão querer sambar
lembrando José, que fez tudo isto
vindo lá do Ceará.


PRAIANA

'Como pode um peixe vivo viver fora da água fria'
Compositor: Edson Vieira
Intérprete: Carlos Medina
Todo brinquedo
contagia num tocar 
o seu dom vai encantar os corações...
emoções entre amigos e diversões.
Brinquedos primitivos, ô, ô...
cruzaram gerações
no antigo Egito a boneca
pipa no ar do oriente
e sorridente a criança pula e dança.
Eu fui no Itororó...
beber água e não achei
escravos de Jó, bota-tira, tirarei...
tá na lembrança, 
na inocência de criança,
esse tesouro eu guardei.
O mundo inteiro no folclore brasileiro
nossa cultura popular, nosso quintal...
ciranda, dominó, cinco marias...
a fuzarca regional.
Quanta riqueza cultural
literatura, jogos e magia...
brincando se aprende o dia-a-dia
criatividade e fantasia...
Eu sou criança, sou esperança... ô...
com a Praiana eu vou brincar 
festa no parque... roda-gigante...
que aventura fascinante.

IMPERATRIZ DONA LEOPOLDINA

'Imperatriz e a energia, a fantástica parceria da vida...' 
Compositores: Edson Vieira e Dani D. K
Intérprete: Alexandre Belo
A luz na escuridão 
a mão de deus
na criação do universo
riquezas naturais, 
depois os animais,
chegando ao homem.
A luminosidade vem do sol
a glória da pré-história
calor e fogo, então surgiu...
a energia que se descobriu.
Do Brasil das sesmarias
vem a lenha , o carvão, (do chão)...
o gás reluz no lampião
a união entre D. Pedro e Leopoldina
a invenção de Thomas Edson nos ilumina.
Que genial, fenomenal,
revolução industrial...
brilhou a luz da nova moda
é manchete de jornal
surge o cinema, a vitrola, o vinil...
a televisão eletrizando vai a mil.
Computadores marcam a modernidade
seduzindo a humanidade
as empresas, telecomunicações...
a energia encantando gerações.
Canta Leopoldina 
minha imperatriz
luz e força exaltando...
a energia do meu país. 
 
 
 
 


SAMBA PURO
'Entre panelas e temperos, a arte 
do Anonymus Gourmet'
Compositor: Edson Vieira
Intérprete: Paulinho Durão
Vem da pré-história
fogo e cozimento
pra dar ao alimento
aroma e sabor
aquele assado
suculento e sedutor.
Do oriente, ao ocidente...
agradando ao paladar mais exigente
forma, caçarola, frigideira...
uma culinária de primeira.
Na panela de pressão tá o feijão
o caseiro mocotó no panelão
o segredo no arroz, no macarrão...
e o churrasco é tradição.
Com inspiração na mão
dom, habilidade, paciência...
o prazer de cozinhar
esbanjando competência.
É show no rádio, na TV...
o nosso Anonymus Gourmet
fazendo o morro aprender sua magia
e provar um novo prato a cada dia
fome zero, sem demagogia...
Olha a panela, o tempero!
Acende a boca do fogão
cozinhar é arte na Conceição.


 
 

Correio do Povo
Porto Alegre - RS - Brasil