CORREIO DO POVO
PORTO ALEGRE, QUARTA-FEIRA, 3 DE SETEMBRO DE 2008

Persas e romanos no Em Cena
Festival tem quatro estréias, como a alemã ‘Die Perser’ e ‘Imperador e Galileu’, com Caco Ciocler




02PERSAS.jpg Caco Ciocler e Liza Scavone em ‘Imperador e Galileu’

A segunda noite do 15º Porto Alegre em Cena terá a estréia de dois espetáculos estrangeiros, um paulista e um gaúcho, além da última apresentação de 'Homeland', de Laurie Anderson, às 21h, no Teatro do Sesi (Assis Brasil, 8787). Da Alemanha, 'Die Perser' ('Os Persas') traz ao palco do Theatro São Pedro (Praça da Matriz s/nO), hoje, amanhã e sexta, às 21h, o texto do grego Ésquilo, traduzido por Heiner Müller, que mostra a visão dos derrotados persas na célebre batalha de Salamis, em 480 a.C. Na montagem dirigida por Dimiter Gotscheff, o insucesso persa é apresentado pela busca dos culpados desde o coro dos anciãos até o rei e senhor da guerra, Xerxes. No elenco estão Samuel Finzi, Wolfran Koch, Almut Zilcher e Margit Bendokat.

'Imperador e Galileu' é assinado pela Cia. de Arte Degenerada (SP), a partir de texto de Henrik Ibsen, de 1873, de hoje a sexta-feira, às 21h, no Teatro do CIEE (Dom Pedro II, 861). Conforme o diretor Sérgio Ferrara, esta é a primeira tradução deste texto no Brasil, feita por Fernando Paz. 'Em 2006, montei o ‘Inimigo do Povo’, que era um drama sociológico de Ibsen de 1882, mas este texto foi escrito nove anos antes, era mais desconhecido e discutia a religião', comenta Ferrara. O espetáculo aborda a vida do imperador Juliano, vivido por Caco Ciocler, que tentou resgatar cultos pagãos e anular a força da Igreja Católica como religião oficial do Império Romano. Ferrara destaca a atualidade do texto de Ibsen. 'Hoje, mais do que nunca, há intolerância e preconceito em relação à fé de cada um. O texto mistura fé e política e questiona o modo como a Igreja Católica tentava associar os pagãos à escória', revela Ferrara, lembrando que montar Ibsen é estudar mais o teatro e rever o homem que revolucionou a dramaturgia moderna. No elenco estão ainda Joaz Campos, Sylvio Zilber, Abraão Farc, Igor Kovalewski, Nelson Peres, Dan Rosseto, Liza Scavone, Júlio Machado e Ronaldo Oliva. O Uruguai mostrará hoje o primeiro dos seis espetáculos previstos para o festival. 'Gatomaquia - Siete Formas de Contar' estréia no Teatro do Sesc (Alberto Bins, 665), às 20h, e terá apresentações amanhã e sexta-feira, no mesmo horário. Detentor de três prêmios - Melhor Espetáculo, Diretor e Elenco - no Troféu Florencio 2007, uma das principais distinções do teatro uruguaio, o espetáculo conta a história dos gatos Marramaquiz e Micifuf, que disputam o amor da felina Zapaquilda. É baseado na obra homônima do dramaturgo Lope de Vega. O elenco é formado por Jimena Pérez, Leandro Núñez, Diego Arbelo e Cecília Sánchez. A primeira presença gaúcha no festival será 'Follias Fellinianas', do Grupo Experimental de Dança da Cidade, em única apresentação hoje, às 20h, no Teatro Renascença (Erico Verissimo, 307). Inspirado por uma música de Nino Rota, no filme 'Amarcord', do diretor italiano Federico Fellini, o diretor e coreógrafo Airton Tomazzoni concebeu o espetáculo a partir de projeto piloto de junho de 2007 do Centro Municipal de Dança, da Descentralização da Secretaria Municipal de Cultura. A partir do universo de Fellini, Tomazzoni decidiu brincar com o movimento, desvendando situações do cotidiano para traçar um paralelo entre Porto Alegre e as cidades italianas retratadas pelo diretor de 'La Dolce Vita'.




Correio do Povo
Porto Alegre - RS - Brasil