Correio do Povo | Notícias | Ambulatório do Hospital Regional de Santa Maria abre em 30 dias

Porto Alegre

15ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quarta-feira, 19 de Setembro de 2018

  • 12/06/2018
  • 08:40
  • Atualização: 08:41

Ambulatório do Hospital Regional de Santa Maria abre em 30 dias

Convênio para a gestão do hospital, com obras prontas há dois anos, foi assinado na segunda

Instituição, referência para 32 cidades, iniciará operações em etapas | Foto: Renato Oliveira / Especial / CP

Instituição, referência para 32 cidades, iniciará operações em etapas | Foto: Renato Oliveira / Especial / CP

  • Comentários
  • Renato Oliveira

O Hospital Regional de Santa Maria (HRSM), cujas obras estão concluídas há mais de dois anos, deve iniciar parte das operações em 30 dias. Para isso, o governo do Estado assinou na segunda-feira convênio com o Instituto de Cardiologia do RS/Fundação Universitária de Cardiologia, que assumirá a gestão da casa de saúde. Assim, a previsão é de que o ambulatório, que servirá de apoio à rede básica, comece a operar em um mês. Conforme a Secretaria Estadual da Saúde, depois, ocorrerá a abertura do ambulatório de reabilitação e, em uma terceira etapa, começará a funcionar a unidade de cuidados prolongados.

O secretário da Saúde, Francisco Paz, disse que o estabelecimento funcionará como referência regional e estadual, atendendo às demandas da atenção básica da 4ª Coordenaria de Saúde (CRS), que abrange 32 municípios e cerca de 500 mil pessoas. “A abertura do hospital será em etapas. E, em pleno funcionamento, será referência em alta complexidade estadual em neurologia e tramauto-ortopedia. Também contará com leitos de UTI adulta, pediátrica e neonatal.”

O presidente da Associação dos Municípios do Centro do Estado (Amcentro) e prefeito de Santiago, Tiago Gorscki, afirmou que, com a assinatura do convênio, espera que o funcionamento do hospital saia do papel. “A instituição será a grande alternativa para desafogar a demanda da saúde da região, mas não podemos concordar com o excesso de burocracia que acaba prejudicando a população”, salientou. O titular da 4ª Coordenaria Regional de Saúde, Roberto Shorn, disse que, com o início da operação, o hospital vai proporcionar a diminuição das filas de espera pelo SUS em outras instituições da região.

A obra iniciou-se em março de 2010 e foi concluída em maio de 2016, com custo total de R$ 61,2 milhões. A infraestrutura de acesso viário foi executada pela prefeitura. A abertura total da instituição ainda não tem data para ocorrer. Quando estiver em pleno funcionamento, o hospital contará com 240 leitos.