Correio do Povo | Notícias | Dunga participa de projeto com 250 alunos de escola estadual em Porto Alegre

Porto Alegre

22ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, segunda-feira, 24 de Setembro de 2018

  • 12/09/2018
  • 15:31
  • Atualização: 16:00

Dunga participa de projeto com 250 alunos de escola estadual em Porto Alegre

Iniciativa realiza exames de prevenção de doenças cardiovasculares nos estudantes

Dunga é embaixador de projeto que conta com dez médicos voluntários | Foto: Alina Souza

Dunga é embaixador de projeto que conta com dez médicos voluntários | Foto: Alina Souza

  • Comentários
  • Cláudio Isaías

Com o objetivo de desenvolver a cultura de prevenção à saúde, a Sociedade de Cardiologia do Rio Grande do Sul (Socergs) realizou nesta quarta-feira o projeto Coração Valente na escola estadual de Ensino Fundamental Danilo Antônio Zaffari, na zona Norte de Porto Alegre. A iniciativa contou com a presença do ex-técnico da Seleção Brasileira, Dunga, embaixador do projeto, e de dez médicos voluntários. Mais de 250 alunos da instituição de ensino do 8º ano e 9º ano realizaram exames de prevenção de doenças cardiovasculares em uma sala de aula da escola. A Fundação Sol foi a responsável pela realização de eletrocardiogramas nas crianças.

O diretor da Socergs, Marcelo Rava Campos, disse que é feito uma avaliação física e de um eletrocardiograma simples para detectar alguma alteração que possa resultar em alguma limitação. "O mais importante neste projeto é que as crianças o quanto antes possam desenvolver hábitos saudáveis na sua vida", ressaltou. Já Dunga afirmou que paralelo ao trabalho de avaliação clínica, são realizadas palestras sobre fatores de risco para doenças cardiovasculares. "O projeto tem a proposta da cultura de prevenção à saúde e que os estudantes possam discutir em casa com os pais o que foi mostrado na escola", destacou o ex-capitão da Seleção Brasileira tetracampeã nos Estados Unidos em 1994.

Segundo Campos, o projeto Coração Valente é uma parceria entre a Socergs e a Fundação Sol e tem o objetivo de desenvolver a cultura da prevenção ao risco para eventos cardiovasculares, que possam resultar em morte súbita cardíaca em jovens, atletas ou em iniciação da atividade física. O público-alvo são crianças e adolescentes, entre 7 e 15 anos, matriculados nas escolas estaduais e municipais de Porto Alegre ou participantes de escolinhas de futebol e outros esportes. "A nossa ideia é sensibilizar a sociedade a começar pelos mais jovens para maior atenção a morte súbita cardíaca", acrescentou.

O diretor da Socergs explicou que durante os últimos anos aumentou muito o interesse da comunidade médica e do público pelas causas da morte súbita cardíaca entre jovens, sejam atletas treinados ou praticantes de exercícios regulares. A morte súbita cardíaca relacionada ao exercício pode ser suspeitada previamente, quando alguns sinais de alerta são observados, como a ocorrência de tonturas ou perda de consciência durante o esforço, dor torácica durante ou após o exercício, palpitações ou falta de ar desproporcional ao esforço realizado, bem como a presença de história familiar de morte súbita cardíaca, além de um eletrocardiograma (ECG) anormal.


TAGS » Saúde, Ensino, Geral, Dunga