Correio do Povo | Notícias | EUA dizem estar prontos para bombardear a Síria em caso de novos ataques químicos

Porto Alegre

16ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, domingo, 27 de Maio de 2018

  • 14/04/2018
  • 13:53
  • Atualização: 15:00

EUA dizem estar prontos para bombardear a Síria em caso de novos ataques químicos

Haley afirmou que conversou neste sábado com o presidente Donald Trump

Embaixadora americana na ONU, Nikki Haley, disse que conversou com Trump | Foto: Drew Angerer / Getty Images / AFP / CP

Embaixadora americana na ONU, Nikki Haley, disse que conversou com Trump | Foto: Drew Angerer / Getty Images / AFP / CP

  • Comentários
  • AFP

O governo dos Estados Unidos está pronto para atacar mais uma vez a Síria se comprovar um novo uso de armas químicas, advertiu neste sábado a embaixadora americana na ONU, Nikki Haley. "Se o regime sírio usar seus gases venenosos novamente, Estados Unidos estarão carregados e engatilhados", disse Haley durante uma reunião urgente do Conselho de Segurança da ONU.

Haley afirmou que conversou neste sábado com o presidente Donald Trump, que reforçou a decisão de não permitir que a Síria utilize armas químicas, como supostamente acontece na semana passada em Duma. "Quando nosso presidente traça uma 'linha vermelha', nosso presidente a aplica", disse a representante americana. Estados Unidos, França e Reino Unido executaram ataques com mais de 100 mísseis contra vários alvos na Síria, em resposta ao suposto uso de um gás venenoso por parte do governo no fim de semana passado.

Neste sábado, durante uma reunião de urgência do Conselho de Segurança da ONU, a delegação da Rússia apresentou um projeto de resolução que condena os ataques por considerá-los uma "violação do direito internacional e da Carta das Nações Unidas". O pedido foi negado. O secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, abriu a reunião com um pedido por uma ação "de acordo com a carta da ONU". "Nós estamos preparados para sustentar essa pressão, se o regime sírio for tolo o suficiente para testar nossa determinação", afirmou Haley.