Correio do Povo | Notícias | Eduardo Leite reitera candidatura: “Marchezan não determina destino do PSDB no RS”

Porto Alegre

32ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quarta-feira, 23 de Janeiro de 2019

  • 08/03/2018
  • 23:05
  • Atualização: 00:02

Eduardo Leite reitera candidatura: “Marchezan não determina destino do PSDB no RS”

Pré-candidato ao Piratini descartou reaproximação com PMDB e garantiu aval de Alckmin para a disputa

Eduardo Leite garantiu que será candidato do PSDB | Foto: Alina Souza

Eduardo Leite garantiu que será candidato do PSDB | Foto: Alina Souza

  • Comentários
  • Flavia Bemfica

O presidente estadual do PSDB e ex-prefeito de Pelotas, Eduardo Leite, reagiu com firmeza nesta quinta-feira às notícias sobre as articulações de peemedebistas para tentar esvaziar sua pré-candidatura ao governo do Estado, de forma a facilitar a provável tentativa de reeleição do governador José Ivo Sartori (PMDB). “Sou pré-candidato ao governo e por consenso escolhido dentro do PSDB, mostrando que o partido está firme neste propósito de ter a liderança do projeto”, assinalou, informando que não há possibilidade de retirada da candidatura. “É um desejo do PMDB, não me ofende, faz parte do processo. Só é chato, porque não é a primeira vez. Já houve outras situações neste sentido.”

Leite assinalou que eventuais composições envolvendo a administração em Porto Alegre não terão impacto sobre as alianças estaduais. “O prefeito Marchezan é uma figura respeitada dentro do partido, é uma liderança importante, mas não tem a força de determinar os destinos do PSDB. Fizemos uma convenção na qual fui escolhido presidente. A prefeitura de Porto Alegre, mesmo que seja a capital do Estado, não vai determinar os rumos do partido no RS. Todos compreendem a viabilidade da nossa candidatura, que ela é competitiva e tem boas perspectivas. Tanto é que há esta determinação em nos tirar da disputa.”

O dirigente rebateu outro argumento que vem sendo utilizado por lideranças peemedebistas, de que o xadrez das composições para a disputa presidencial poderá obrigar os tucanos a abdicarem da candidatura própria ao Piratini. “Tenho total respaldo do governador Geraldo Alckmin (SP) e, dentro da estratégia nacional do PSDB, o RS é tido como prioridade. Então, não faz nenhum sentido retirar a candidatura muito menos para dar apoio a uma candidatura à reeleição (Sartori) que, em função de todos os seus indicadores, possui muitas dificuldades”, afirmou.

PSDB formaliza convite ao PP

Ante a intensificação dos movimentos do PMDB junto a Marchezan e a aproximação da pré-convenção do PP onde a candidatura própria progressista também está na pauta, Leite formalizou na quarta-feira ao PP o convite para uma aliança tanto na chapa majoritária como nas proporcionais. O PSDB também está montando uma equipe técnica para realizar debates e confeccionar estudos setoriais, que começa a trabalhar no final deste mês.

O ex-prefeito pelotense defende que alianças e programas precisam estar consolidados antes de julho, de forma a que os eleitores tenham clareza sobre o projeto que ele vai representar. “Uma das carências do governador Sartori é que ele não validou um projeto junto à população na eleição. E aí se perdeu um momento que é precioso: quando milhões de gaúchos vão às urnas para dizer o que querem.”