Amazon é processada por usar obra de arte indevidamente em “Suspiria”

Amazon é processada por usar obra de arte indevidamente em “Suspiria”

Família de Ana Mendieta, morta em 1985, acusa estúdio de plagiar dois trabalhos da artista

Correio do Povo

Filmem, dirigido por Luca Guadagnino, é um remake do clássico de 1977

publicidade

A Amazon está sendo processada por plágio no novo filme do diretor Luca Guadagnino, “Suspiria”. De acordo com informações da revista Variety, o estúdio foi acusado de utilizar indevidamente obras de Ana Mendieta, uma artista cubana-americana, falecida em 1985, que abordava o tema de violência contra a mulher em seus trabalhos.

No processo, a família da artista acusa o estúdio de plagiar duas obras em duas cenas do primeiro trailer. A primeira  imagem mostra  uma mulher com as mãos atadas em cima de uma mesa branca, que supostamente seria derivada de “Rape Scene”. Já a segunda é de uma silhueta de um corpo em um lençol, que os herdeiros de Mendieta afirmam ser baseada em “Untitled” (Silueta Series, Mexico).

Os advogados haviam enviado uma carta para a Amazon em julho pedindo a remoção das duas cenas nas quais eles entenderam haver os plágios. O estúdio concordou e não voltou a usá-las no segundo trailer, lançado em agosto. Entretanto, na versão do final do filme, a família afirma ter encontrado outras oito imagens com conteúdos similares ao trabalho de Mendieta.

Em entrevistas recentes, Guadagnino revelou que uma de suas inspirações para o filme foi justamente o trabalho de Ana Mendieta. Segundo ele, a principal motivação para fazer um remake de “Suspiria” foi porque ele está “cheio de ideias de arte feminista”.

“Suspiria” é uma refilmagem do clássico de 1977, dirigido por Dario Argento. A narrativa acompanha uma jovem bailarina que chega a uma prestigiada escola de dança logo após o desaparecimento misterioso de uma aluna. Até o momento não foi confirmada a data para estreia do filme no Brasil.

publicidade

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895