Angelina Jolie quer deixar de ser atriz para dirigir filmes

Angelina Jolie quer deixar de ser atriz para dirigir filmes

Último filme dirigido por ela é baseado na história de atleta mantido prisioneiro de guerra dos japoneses

AFP

Angelina Jolie chegou esta semana à Austrália para promover seu mais recente filme

publicidade

A atriz Angelina Jolie declarou à imprensa australiana que pretende deixar de ser atriz para dedicar-se exclusivamente à direção de filmes. Angelina Jolie chegou esta semana à Austrália para promover seu mais recente filme, "Invencível", sua segunda incursão como diretora. "Quero fazer mais alguns filmes como atriz, mas ficaria contente de deixar tudo isso num dado momento", falou a atriz ao Sydney Morning Herald. "Adoro dirigir, eu me sinto muito mais feliz como diretora", acrescentou.

"Gosto do fato de acompanhar um projeto do início ao fim. Gosto de passar dois anos me inteirando de algo e, acima de tudo, aprender coisas", disse ainda. O novo filme de Jolie, "Invencível", é baseado na história de um atleta olímpico americano que foi prisioneiro de guerra dos japoneses. O filme conta a história de Louis Zamperini, que disputou os 5 mil metros nos Jogos Olímpicos de Berlim 1936, antes de combater durante a Segunda Guerra Mundial.

Quando seu avião caiu no Pacífico Sul, ele passou 47 dias à deriva em uma balsa, ao lado de outro integrante da tripulação, até que os dois foram capturados por soldados japoneses nas Ilhas Marshall. Durante mais de dois anos Zamperini foi prisioneiro dos japoneses, que o agrediram e torturaram, antes de conseguir retornar aos Estados Unidos.
Angelina Jolie afirmou que exibiu o filme a Zamperini - que morreu em julho aos 97 anos, em um computador portátil no quarto do hospital.

"Ele assistiu com muita concentração, como um homem que sabe que está sofrendo, viu sua vida passar diante de seus olhos", disse Jolie. "E sorriu quando viu sua mãe e disse 'Pete' quando viu o ator que interpreta seu irmão, Pete. É a vida dele", explicou.

publicidade

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895