As texturas e ambiências de Ondjaki em ciclo hoje

As texturas e ambiências de Ondjaki em ciclo hoje

Escritor angolano é o convidado da série de palestras virtuais "Lab Corpo Palavra", que segue até o próximo dia 4 de março

Ondjaki é a atração desta terça do "Lab Corpo Palavra"

publicidade

O ciclo virtual de palestras “Lab Corpo Palavra” reúne, até 4 de março, artistas e pesquisadores da dança, das escritas, das artes cênicas e dos estudos do corpo no canal do YouTube Celeiro Moebius (https://bit.ly/3q9zULp). A proposta é conversar sobre pensamentos e práticas que envolvem processos de criação artística na relação entre corpo e palavra. Hoje, 16h, a conversa é com o poeta e escritor angolano Ondjaki, que tem obras traduzidas ao francês, espanhol, italiano, alemão, inglês, sérvio e sueco. Também escreve para cinema e é professor de escrita criativa. As palestras ficam disponíveis no canal após o evento.

A atividade é um desdobramento do Laboratório Corpo Palavra: coreografias e dramaturgias cartográficas, trabalho artístico-pedagógico da bailarina, performer, coreógrafa, professora e pesquisadora da dança Aline Bernardi. O projeto tem patrocínio da Prefeitura do Rio de Janeiro/Secretaria Municipal de Cultura, Secretaria Especial de Cultura, Ministério do Turismo e Prêmio Fomento a Todas as Artes. “A obra de Ondjaki é um universo imagético recheado de texturas, cheiros e ambiências. Tenho a alegria de tecer diálogos artísticos com ele, que já assinou a revisão técnica do meu livro performance “Decopulagem”. O gosto pelos detalhes gestuais e a acuidade nas tramas visuais são pontos de convergências em nossas buscas artísticas nas tramas com a palavra”, conta Aline.

Além de Ondjaki participam das palestras Hélia Borges (psicanalista, pesquisadora e professora da Faculdade Angel Vianna), Katya Gualter (artista da dança e professora da Ufrj), Sandra Benites (antropóloga indígena guarani, curadora do Masp), Maria Alice Poppe (bailarina e professora de Dança da Ufrj), Ana Kfouri (diretora teatral, atriz e pesquisadora), e Ciane Fernandes (performer e professora da Ufba). 


publicidade

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895