Aula de poesia e Brasil do futuro no Instituto Ling

Aula de poesia e Brasil do futuro no Instituto Ling

Duas atividades culturais estão na agenda, uma às 16h e outra às 20h

Escritores Luana Schabib, Julia Marisa Sekula e Jorge Caldeira participam de live às 20h

publicidade

O projeto Poesia no Ling convida o escritor e ensaísta Ronald Augusto para falar sobre a obra de Heitor Saldanha (1910-1986), um dos maiores poetas modernistas do RS. O evento hoje, às 16h, tem transmissão ao vivo e gratuita pelo YouTube do Instituto Ling, de Porto Alegre. 
Nascido em Cruz Alta, Heitor viveu por um tempo com a esposa, a contista gaúcha Laura Ferreira, no Rio de Janeiro, onde por mais de dez anos conviveu com amigos ilustres, como Drummond, Ferreira Gullar e Clarice Lispector. Amigo de Mario Quintana, iniciou sua produção aos 30 anos de idade. Na Porto Alegre de 1950, integrou o Grupo Quixote, movimento literário de vanguarda, que publicou a revista homônima e que reivindicava “enfrentar os quadros intelectuais dominantes gaúchos e assumir uma posição revolucionária no plano cultural”. Membro da Academia Rio-Grandense de Letras, também produziu o programa de rádio “Poesia na Guaíba” e colaborou regularmente para o Correio do Povo e Folha da Tarde, onde exerceu crítica literária e de arte. Entre suas obras, tem destaque “A Hora Evarista” (1974), traduzido também para o espanhol.
Às 20h, no Instagram @instituto.ling, tem vez a live “Brasil: Paraíso Restaurável”, com os autores do livro homônimo, lançado pela editora Sextante. O escritor e historiador Jorge Caldeira, a economista e cientista política Julia Marisa Sekula e a jornalista e publicitária Luana Schabib falam sobre a oportunidade do país assumir o protagonismo no contexto da economia limpa. Eles mostram que o mundo está mudando depressa e que, no contexto da economia limpa, a dicotomia preservação versus desenvolvimento não se aplica mais. Ao contrário: projetos sustentáveis têm sido a preferência dos grandes investimentos. 


publicidade

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895