Avião com Marília Mendonça bateu em cabo de alta tensão antes de cair

Avião com Marília Mendonça bateu em cabo de alta tensão antes de cair

Informação foi confirmada pela Cemig, que disse lamentar o acidente; torres violavam zona de aproximação do aeroporto

R7

Marília Mendonça tinha 26 anos e não resistiu aos ferimentos

publicidade

O avião que transportava a cantora Marília Mendonça e outras quatro pessoas atingiu um cabo de uma torre de distribuição da Cemig (Companhia Energética de Minas Gerais) antes de cair em uma região de difícil acesso em Piedade de Caratinga, a cerca de 300 km de Belo Horizonte, nesta sexta-feira. A informação foi confirmada pela própria empresa. 

"A Cemig informa que o avião bimotor que transportava a cantora Marília Mendonça e outras quatro pessoas atingiu um cabo de uma torre de distribuição da Companhia no município de Caratinga", afirmou, em nota, a assessoria de imprensa da companhia que disse, ainda, lamentar o acidente que resultou na morte das cinco pessoas que estavam no avião.

Como revelou o R7, um relatório do sistema de informações aeronáuticas do aeroporto de Ubaporanga, onde o avião deveria pousar, apontava que havia torres de alta tensão em montagem que ofereciam risco à aproximação de aeronaves. 

O relatório, divulgado nos dias 3 de julho e 13 de setembro, chamado Infotemp indicou que as torres que estavam sendo instaladas violavam o plano básico de zona de proteção do aeroporto de Ubaporanga.

Acidente

A aeronave que transportava Marília Mendonça, seu produtor, um assessor, além de piloto e co-piloto caiu na tarde desta sexta-feira em uma cachoeira, na região de Piedade de Caratinga. 

O Corpo de Bombeiros foi acionado para atender a ocorrência e constatou, no local, que todas as cinco pessoas haviam morrido. Os militares precisaram abrir a fuselagem e retirar as vítimas, que estavam presas às ferragens. Os corpos foram levados para o Posto Médico Legal do município de Caratinga.

O capitão Jefferson, da Polícia Militar, que estava no local do acidente, afirmou que a região era de difícil acesso, o que dificultava o resgate dos corpos. Ele disse, ainda, que a aeronave caiu em um local que ficava a cerca de 2 km de distância do aeroporto de Ubaporanga, onde iria pousar em instantes. 

Veja Também


publicidade

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895