Belas Artes à La Carte aposta em clássicos e premiados

Belas Artes à La Carte aposta em clássicos e premiados

“O Hotel às margens do Rio”, de Hong Sang-soo, é um dos títulos disponíveis na plataforma

Marcos Santuario

“O Hotel às margens do Rio”, de Hong Sang-soo, está disponível na plataforma do Belas Artes à La Carte

publicidade

Enquanto há uma preocupação sobre as mudanças nos “tapetes vermelhos de Hollywood”, para conviver com a realidade e os possíveis efeitos da pandemia, as produções audiovisuais estão sendo consumidas em plataformas de streaming.

Alguns dos destaques que valem a pena ser vistos estão na plataforma digital do Belas Artes à La Carte, que colocou em sua programação o reconhecido trabalho de grandes diretores. Um dos programas é o show dos Talking Heads, realizado pelo vencedor do Oscar Jonathan Demme, registrando o show homônimo da banda americana no Hollywood Pantages Theatre, em 1983. Também fica disponível "Gaviões e Passarinhos"(1966), um dos filmes mais geniais do italiano Pier Paolo Pasolini; “Juventude Nua”(1960), do mestre japonês Nagisa Oshima; "Stop Making Sense" (1984), e "Deus é Mulher e Seu Nome É Petúnia" (2019), uma joia rara vinda da Macedônia, com direção da talentosa Teona Strugar Mitevska.

Outra novidade para todas as telas é do filme, inédito em circuito comercial no Brasil, “O Hotel Às Margens do Rio”, dirigido e escrito pelo Hong Sang-soo, lançado pela Pandora Filmes na Belas Artes à la Carte, a partir da próxima quarta-feira, dia 28 de maio. O filme foi exibido no 71º Festival de Locarno, onde levou o prêmio de melhor ator, e esteve na programação do Festival do Rio em 2018. Na trama, o espectador acompanha um famoso poeta, Younghwan (Ki Joobong), que passou a morar no hotel de seus amigos às margens do rio Han.

O humor melancólico do filme é refletido na envolvente fotografia atmosférica em preto e branco do diretor de fotografia Kim Hyungkoo. Apesar de parecer perfeitamente saudável, Younghwan está convencido de que pode estar prestes a morrer, e por isso, acontece um encontro entre ele e seus dois filhos. Momento de revelar emoções represadas e esconder vergonhas ainda não assumidas. Tudo emoldurado pela neve que cria o clima frio e dá contexto à trama. Ao mesmo tempo, no hotel, a jovem Sanghee (Kim Minhee) também procura refúgio, lamentando um relacionamento fracassado e cuidando de seus ferimentos, tendo sua vida casualmente entrelaçada pela história de Younghwan.

A maioria dos filmes de Sang-soo, que já foi comparado a Woody Allen e Erc Rohmer, colocam em cena a simplicidade complexa dos personagens humanos em seus relacionamentos. O banal toma proporções de tal intensidade que se convertem em propulsores de emoções e sentimentos inimagináveis em sua gênese. Surge uma rede delicada de laços familiares, conexões aleatórias e sentimentos de mágoa. Tudo muito humano. 


publicidade

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895