Belchior é o tema do CP ao Vivo

Belchior é o tema do CP ao Vivo

Live apresentada por Luiz Gonzaga Lopes nesta terça, 18h15min, será com a escritora, jornalista e cantautora Chris Fuscaldo

Chris Fuscaldo e Marcelo Bortoloti percorreram mais de 10 mil km e realizaram 150 entrevistas para o livro sobre Belchior

publicidade

A escritora, jornalista e cantautora Chris Fuscaldo é a convidada da live do Correio do Povo ao Vivo Lá em Casa, nesta terça-feira, 18 de maio, às 18h15min.  Neste ano, foi lançado o livro "Viver é melhor que sonhar – Os últimos caminhos de Belchior", de autoria de Chris e Marcelo Bortoloti, que em forma de road book refizeram os caminhos da carreira conturbada e cheia de acontecimentos inesperados do cantor Belchior, morto em 30 de abril de 2017. O livro vai virar a série documental “Procurando Belchior”, produzida pela Urca Filmes com coprodução do Canal Brasil. Com apresentação de Luiz Gonzaga Lopes, a live tem transmissão pelo Facebook, YouTube e Twitter do CP.

Formada em Jornalismo e em Letras (Português/Italiano), Chris Fuscaldo é escritora, jornalista e cantautora, além de mestra e doutora em Literatura, Cultura e Contemporaneidade. Trabalhou nos jornais Extra e O Globo, e colaborou para diversas revistas brasileiras, entre elas MTV e Rolling Stone. Em 2015, foi responsável pela pesquisa do livro “Rock in Rio 30 Anos” (Ed. 5W). No ano seguinte, estreou como escritora em “Discobiografia Legionária” (Ed. LeYa). Em 2017, estreou como cantora e compositora no álbum “Mundo Ficção”. Em 2018, lançou o livro “Discobiografia Mutante: Álbuns que Revolucionaram a Música Brasileira” (troféu Prêmio Profissionais da Música) e, com ele, fundou sua própria editora, a Garota FM Books.

Com 60 anos, Belchior deixou toda a sua vida para trás, rumo a uma jornada incerta e anônima pelo sul do país, que terminaria com sua morte dez anos depois. Não explicou a ninguém o motivo do seu desaparecimento, não pediu dinheiro emprestado aos amigos, só deu um telefonema a um dos filhos durante este período. Em companhia de uma nova produtora e amante, Edna Assunção de Araujo, de pseudônimo Edna Prometheu, percorreu dezenas de cidades, viu de longe seu patrimônio ir embora, foi caçado pela justiça e pela imprensa, dormiu em locais abandonados, dependeu da caridade de desconhecidos, foi expulso de casas por pessoas que o abrigavam, e não retrocedeu. Por que Belchior agiu assim? A pergunta foi feita por fãs, familiares, colegas e amigos e moveu particularmente os jornalistas Chris Fuscaldo e Marcelo Bortoloti no momento em que viviam uma transformação, em que se especializavam no mundo acadêmico com o intuito de se firmarem cada vez mais como pesquisadores, também fãs do cantor e interessados em mergulhar em suas origens. Assim nasceu o livro, designado road book por ter sido produzido enquanto Fuscaldo e Bortoloti percorriam as paralelas antes percorridas por Belchior.

Para chegar ao fundo da questão, os dois percorreram cidades por onde o cantor passou, antes e depois do sumiço. Foram ao Rio Grande do Sul, seguiram para o Uruguai, depois São Paulo e finalmente chegaram ao Ceará. Foram do lugar onde ele morreu até o lugar onde ele nasceu. Neste trajeto de mais de 10 mil quilômetros, entrevistaram mais de 150 pessoas pessoas que tiveram contato com ele, conheceram locais onde ele se hospedou, dormiram em camas onde ele dormiu, reviraram suas malas deixadas para trás. Consultaram processos e documentos que levavam seu nome e anotações pessoais, perturbaram sua família com perguntas indiscretas, choraram com depoimentos, entrevistaram amantes, advogados, amigos de infância.

 

 


publicidade

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895