Brasil tem filmes selecionados para 70º Festival de Cinema de Berlim
capa

Brasil tem filmes selecionados para 70º Festival de Cinema de Berlim

Novo longa de Karim Aïnouz será exibido na Mostra Paranoma

Por
Correio do Povo

"Nardjes A" é um documentário que acompanha uma jovem argelina durante uma revolução pacífica

publicidade

O Brasil terá diversos filmes representando o cinema nacional na 70ª edição do Festival de Cinema de Berlim, que acontece entre os dias 20 de fevereiro e 1° de março. Cinco produções serão exibidas na Mostra Paranoma, que é a segunda mais importante do evento. 

O diretor de "A Vida Invisível", Karim Aïnouz, fará a primeira exibição do seu novo longa no festival. "Nardjes A" é um documentário que acompanha uma jovem argelina durante uma revolução pacífica em seu país. "Filmado em 8 de março de 2019, Dia Internacional da Mulher, o filme traça um retrato da ativista no momento em que ela se junta a milhares de manifestantes nas ruas de Argel, em luta para derrubar um regime que os silenciou por décadas. Nós a seguimos, enquanto seu país inteiro indicava estar caminhando para um futuro melhor", diz a sinopse. 

Em 2019, Karim Aïnouz foi premiado durante a mostra Um Certo Olhar do Festival de Cannes por "A Vida Invisível", que foi o representante do Brasil na disputa por uma vaga para concorrer ao Oscar de Melhor Filme Internacional este ano. "Nardjes A" ainda não tem previsão de lançamento. 

O segundo filme selecionado para a Berlinale foi "Cidade Pássaro", de Matias Mariani, que acompanha a busca de um músico nigeriano pelo seu irmão desaparecido em São Paulo. Já em "O Reflexo do Lago", de Fernando Segtowick, trata sobre pessoas que vivem próximas de uma usina hidrelétrica na Amazônia, e "Vento Seco", de Daniel Nolasco, apresenta a trama de um goiano cuja rotina é afetada quando um forasteiro chega na sua cidade.

A mostra também terá "Um Crímen Comun", de Francisco Márquez, uma coprodução do Brasil com Argentina e Suíça. 

A mostra Generation, que traz filmes sobre juventude, também terá representantes brasileiros com "Meu Nome É Bagdá", de Caru Alves de Souza, "Alice Júnior", de Gil Baroni e "Irmã", de Luciana Mazeto e Vinícius Lopes. Outros seis brasileiros terão seus trabalhos exibidos na mostra Forum Expanded, dedicado a filmes de linguagem experimental e vídeos de arte. 

O Festival de Berlim selecionou nove brasileiros para participar de encontros para trocas de experiências entre jovens talentos do cinema do mundo todo. São eles: Ana Musa (diretora de arte), André Mielnick (produtor e roteirista), Bianca Martins (diretora de som), Diana Almeida (produtora), Fabiano Mixo (diretor), Guilherme Farkas (diretor de som), Jorge Neto (ator), Luana Demange (diretora de arte) e Luciana Baseggio (diretora de fotografia). 

A seleção de filmes da mostra competitiva da 70ª edição do Festival de Cinema de Berlim ainda não foi divulgada.