Bambas da Orgia fecha desfile das Escolas de Samba de Porto Alegre

Bambas da Orgia fecha desfile das Escolas de Samba de Porto Alegre

Brilho das fantasias e determinação dos sambistas contrastaram com atraso generalizado das apresentações das 13 entidades que passaram pelo Porto Seco entre sábado e domingo

Por
Correio do Povo

Bambas começou a desfilar quando o sol já estava forte neste domingo


publicidade

Treze escolas de Samba desfilaram no Porto Seco entre o início da noite de sábado e o final da madrugada deste domingo, fechando as apresentações do Carnaval de Porto Alegre 2020. As entidades se dividiram nas categorias bronze, prata e ouro. Em sua maioria, as performances ocorreram com muito brilho nas alegorias e fantasias, e determinação dos participantes, os quais não se deixaram abalar pelo atraso generalizado que fez com que as agremiações da última modalidade cantassem seus sambas-enredos já sob o forte sol do dia 8 de março.

A apuração dos resultados ocorre ainda neste domingo – está marcada para ter início às 14h. No sábado, os trabalhos começaram com a convidada Império dos Herdeiros. A escola levou para a avenida com o enredo "Odoyá! Mar em festa na praia do coração dos gaúchos". "Com muito suor, chegamos até aqui", enfatizou um dos dirigentes.

A Cohab Santa Rita foi a primeira em disputa a passar pela avenidas. Os sambistas da agremiação cantaram o enredo " O carnaval é a lei do povo! Lutar, sambar e amar. A academia é Dilamar".

A Unidos do Guajuviras, de Canoas, foi a segunda a passar pelo Porto Seco na noite de sábado. A entidade disputa a série bronze com enredo "O voo do gavião sobre a corte imperial", que homenageou desfiles marcantes da Imperadores do Samba, Imperatriz Dona Leopoldina e Império da Zona Norte.

A verde branco da Acadêmicos da Orgia foi a penúltima da série bronze. Com o símbolo do Zé Carioca, a escola cantou "O enredo que embalo minha maior paixão.

A Tribo Carnavalesca Os Comanches foi a última entidade a entrar no Porto Seco pela série bronze. O enredo "As origens" levo à avenida uma ode aos índios.

Série Prata: Os desfiles da série prata começaram às 22h, com a Unidos da Vila Mapa, diretamente da Lomba do Pinheiro com um enredo que falou sobre o universo, "2020, ano em que faremos contato". O samba foi interpretado por Wanderlei Sensação e Daniel Mença.

Escola de Viamão e vice-campeã da categoria prata em 2019, a Academia de Samba Unidos de Vila Isabel completou 40 anos em 2019. A escola fez um desfile sem problemas com samba-enredo "Yabás! As glórias da Vila", uma homenagem às mulheres, com pedido de paz, respeito e igualdade.

"No reino de Ketu, a corte veste as penas do pavão". Este foi o tema da União da Tinga, a penúltima escola da série prata.

Finalizando a categoria, a Praiana chegou forte na passarela, com um samba frenético que canta o enredo "No jardim do carnaval a mais formosa flor: em verde e rosa, um buquê de amor".

Série Ouro Com quase 3 horas de atraso, a Série Ouro teve início com a Imperatriz Dona Leopoldina levando para a avenida um enredo sobre a sambista Leci Brandão. Apesar da apresentação vibrante, a terceira alegoria apresentou problema no trecho intermediário da pista, não conseguindo avançar.

Quando a Imperadores do Samba fez sua estreia no carnaval 2020, o sol já raiva. Mas, com um enredo sobre Iberê Camargo – "Iberê, das águas da arte, o homem que se fez rio" –, a escola agitou sua torcida, que compareceu em peso ao Porto Seco. A bateria vermelho e branco foi dirigida pelo Júnior Aruanda.

O Estado Maior da Resting levou uma mensagem motivacional para a avenida, falando sobre a importância de se acreditar nos seus objetivos: "Não basta sonhar... Tem que ter fé". Renan Ludwig comandou o enredo, enquanto a bateria foi regida por Kiko e Elivelton.

Perto das 14h a Bambas da Orgia entrou na avenida para encerrar as festividades. Com um samba emocionante, a escola que completa oito décadas em 2020 contou sua trajetória no enredo “Eu sou passado, eu sou presente, eu sou futuro. Saudade...Quem é que não tem?”.