Carnaval do Porto Seco começa com ensaios da Muamba
capa

Carnaval do Porto Seco começa com ensaios da Muamba

Presidente da Liespa destacou ótima expectativa e projetou "uma baita festa"

Por
Jessica Hübler

Estado Maior da Restinga levantou a galera no Porto Seco

publicidade

O Carnaval de Porto Alegre começou nesta quinta-feira, com os ensaios técnicos das escolas de samba, a famosa Muamba em preparação para o desfile oficial no fim de semana. Seis escolas da Série Ouro participaram do treino e aproveitaram para fazer os últimos ajustes para entrar na passarela no sábado à noite com tudo em ordem. O presidente da Liga Independente das Escolas de Sampa de Porto Alegre (Liespa), Juarez Gutierres, mostrou toda a satisfação com a abertura dos trabalhos após a polêmica sobre o financiamento do desfile com a Prefeitura da Capital. "Não tinha como não sair o carnaval", destacou, destacando que para desagrupar todas as escolas seria fácil, mas para agregar novamente seria muito difícil.

"Apesar de ter sido um ano muito difícil, nos esforçamos muito e contamos com o apoio de todos. Vai ser uma baita festa", ressaltou. Ainda conforme Gutierres, as escolas Imperadores do Samba e Bambas da Orgia, que optaram por não participar da Muamba, podem sair prejudicadas. "Elas vão ter que fazer toda a preparação e equalização de sons no intervalo entre os desfiles", explicou.

Embaixadores do Ritmo e Estado Maior da Restinga abriram os trabalhos na passarela do Complexo Cultural do Porto Seco, embalando o público que acompanhava as atividades. O samba enredo da Embaixadores homenageou o Centenário do Samba. A agremiação entrou na passarela por volta das 21h45min e fechou o desfile com exatos 50 minutos. Assim como as demais escolas, a Embaixadores não apresentou nenhum carro alegórico durante o ensaio técnico, nem todos os integrantes estavam devidamente fantasiados. Uma das integrantes da escola, a dançarina Daniela Reichembach, afirmou que o treino foi idêntico aos ensaios. "Dentro do que ensaiamos está tudo certo e eu achei ótimo", contou.

A Estado Maior da Restinga entrou na passarela por volta das 22h50min e trouxe, em seu enredo, uma homenagem à Cachaça Brasileira. A agremiação da zona Sul de Porto Alegre levou à passarela um número maior de integrantes fantasiados, a bateria tinha até coreografia e inclusive um objeto curioso: um ônibus da linha Restinga, onde o letreiro dizia "Estado Maior da Restinga". Provavelmente o uso do ônibus serviu para testar o espaço na passarela para quando os carros alegóricos também forem desfilar. De acordo com o presidente da Estado Maior da Restinga, Robson Dias, o mais importante na Muamba é testar os equipamentos. "Está tudo aprovadíssimo, inclusive melhor que em anos anteriores. A Tinga tem a expectativa de fazer um grande carnaval", afirmou. A Restinga fechou o desfile quase no tempo limite, com 58min.

A Muamba seguiu até a madrugada com União da Vila do IAPI, Acadêmicos de Gravataí, Imperatriz Dona Leopoldina e Império da Zona Norte, que encerrou a preparação. Por volta da 00h17min, a União da Vila do IAPI entrou na passarela. O samba enredo da agremiação da zona Norte da Capital homenageia Eduardo Natalício, do Boteco Natalício. Segundo o presidente da União da Vila do IAPI, Jorge Sodré, a escola fará, este ano, um dos melhores desfiles já vistos no Complexo Cultural do Porto Seco. "Conseguimos concluir todos os nossos ensaios e vamos fazer um desfile lindo que o Porto Seco nunca viu", garantiu.

Na sequência, por volta da 1h34min, a Acadêmicos de Gravataí ingressou na passarela. O enredo da escola homenageia José Abelardo Barbosa, o Chacrinha. Para a presidente da agremiação da Região Metropolitana de Porto Alegre, Rita Bitencourt, a escola já é vitoriosa por estar na avenida. Após 49min, fechando o desfile mais curto da noite de Muamba, a Acadêmicos de Gravataí deu espaço para a Imperatriz Dona Leopoldina