Desfile do Grupo Especial das Escolas de Samba do Rio de Janeiro começa neste domingo
capa

Desfile do Grupo Especial das Escolas de Samba do Rio de Janeiro começa neste domingo

Atual campeã, Beija-Flor é uma das sete escolas a se apresentar na Marquês de Sapucaí nesta primeiro dia

Por
Correio do Povo

Beija-flor será a quinta a desfilar

publicidade

Começa neste domingo a disputa na Marquês de Sapucaí, com a apresentação de sete escolas de samba do Grupo Especial. Embora tenham ficado nas duas últimas colocações na apuração de 2018, a Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa) decidiu não rebaixar a Acadêmicos de Grande Rio e a Império Serrano. 

E a responsável por abrir os desfiles é justamente a Império Serrano, que escolheu a música "O que é? O que é?", do cantor e compositor Gonzaguinha, como enredo e terá como hino a própria canção, do álbum "Caminhos do Coração" (1982). O carnavalesco Paulo Menezes comandará o desfile da verde e branco. Eles estava na Vila Isabel e voltou à escola depois de 13 anos. 

Na sequência vem a Viradouro, campeã da Série A no ano passado. De volta ao Grupo Especial depois de três anos, a agremiação aposta no retorno do carnavalesco Paulo Barros com o enredo "Viraviradouro", que promete um misto de feitiço e magia. Um dos destaques do desfile será o final: a escola levará para a avenida uma Fênix abrindo as asas e renascendo das cinzas.

Terceira a desfilar, a Acadêmicos do Grande Rio, que foi salva do rebaixamento por uma "virada de mesa" da Liesa, resolveu se inspirar no episódio para planejar o desfile deste ano. O enredo "Quem nunca... Que atire a primeira pedra!" pretende mostrar que muitos já cometeram algum deslize reprovável. No enredo, a escola faz sua mea-culpa, pede perdão e clama por uma sociedade mais ética, discutindo educação, convivência e o jeitinho brasileiro durante sua passagem pela Marquês de Sapucaí.

Já a Acadêmicos de Salgueiro fará uma homenagem ao seu patrono espiritual: Xangô, o Orixá da Justiça. Idealizado pela carnavalesco Alex de Souza, o enredo vai contar a trajetória da divindade desde o continente africano até o Brasil. A atriz Viviane Araújo desfilará pelo 12º ano consecutivo como rainha de bateria da escola.

Atual campeã da elite, a Beija-Flor vai brigar por mais um título comemorando os 70 anos da Marquês de Sapucaí. O enredo "Quem não viu vai ver... As fábulas do Beija-flor" vai contar a história de sete décadas de folia, usando a memória da escola. O destaque ficará por conta dos ratos e urubus fictícios apresentados em uma alegoria durante o desfile de 1989, quando a agremiação apresentou "Ratos e urubus, larguem minha fantasia", criado pelo carnavalesco Joãosinho Trinta.

A Imperatriz Leopoldinense contará a história do dinheiro, abordando desde a invenção da moeda até os dias atuais. Embalada pela marchinha "Me dá um dinheiro aí?" como referência, a agremiação vai destacar a relação do homem com a moeda, e ainda promete fazer uma crítica humorada sobre ambição e política.

Para encerrar o primeiro dia de apresentações, a Unidos da Tijuca colocará na avenida o enredo "Cada macaco no seu galho. Ó, meu pai, me dê o pão que eu não morro de fome". Através da visão do pavão, símbolo da escola, o desfile vai passar uma mensagem de esperança em dias melhores por meio da história e simbologia do pão. 

Ordem dos desfiles:
21h15min - Império Serrano
22h20min - Viradouro
23h25min - Grande Rio
0h30min - Salgueiro
01h35min - Beija-Flor
02h40min - Imperatriz Leopoldinense
03h45min - Unidos da Tijuca