Moradores da Cidade Baixa reclamam de lixo deixado após carnaval
capa

Moradores da Cidade Baixa reclamam de lixo deixado após carnaval

Ruas do bairro estavam repletas de garrafas, copos e sacos plásticos, além do cheiro de urina

Por
Cláudio Isaías

Lixo foi deixado nas ruas da Cidade Baixa após o carnaval de rua

publicidade

Os foliões que participaram do Carnaval de rua de Porto Alegre na Cidade Baixa, no sábado deixaram as ruas do bairro com muita sujeira. No começo da manhã de domingo, os moradores da rua da República, onde foi realizada a apresentação da Banda DK e Panela do Samba e do DJ Duda, acordaram cedo para realizar a limpeza da região. No local, foi possível encontrar garrafas de vodka e cerveja (algumas quebradas), garrafas PET, latas de cerveja, copos e sacos plásticos, baganas e carteiras de cigarro e restos de comida. 

O funcionário do bar e restaurante República, que pediu para se não identificar, disse que não tinha visto tanto lixo na frente do estabelecimento comercial. "Recolhi dois sacos com garrafas de vodka, latas de cerveja e restos de comida", ressaltou. Ele aproveitou para lavar a calçada em razão do cheiro de urina. O porteiro Jerônimo Camargo Almeida, que trabalha no edifício Rio Negro, afirmou que falta educação e respeito das pessoas que participam das festas na Cidade Baixa. "Não é possível deixar tanta sujeira em um local público", lamentou. O lixo estava concentrado ao longo de toda a rua da República, a partir do trecho que passa pelas ruas João Alfredo e Lima e Silva até a avenida João Pessoa.

 

Já a aposentada Ângela Maria Garcez, moradora da República há mais de 30 anos, explicou que nunca foi contra o Carnaval de rua. No entanto, ela afirmou que a festa é para se divertir e não para destruir o patrimônio público. "O que acontece hoje é a cultura da destruição embalada pelo consumo de muito álcool e som alto que atrapalha a vida dos moradores", acrescentou. Ela sugeriu que poderia ser criada uma campanha pela prefeitura semelhante a do personagem Sujismundo que existia na década de 1970. Sujismundo foi um personagem de animação brasileiro, criado por Ruy Perotti, que tinha a proposta de melhorar os hábitos de higiene e limpeza dos brasileiros.

Os comerciais de televisão mostravam os seus maus hábitos - como jogar lixo no chão ou espalhar objetos pelo escritório. Ângela Maria sugeriu que fosse criada uma ação para que as pessoas recolhessem o seu lixo e descartassem no lugar correto. "O que não pode é ficar lixo espalhado na via. É falta de educação", alertou ela enquanto recolhia mais de uma dezena de garrafas de vodka (algumas quebradas) deixadas na calçada pelos foliões. Por volta das 8h30min, um caminhão da prefeitura de Porto Alegre começou a realizar o recolhimento do lixo ao longo de toda a rua da República. 

Denise Rogowski, da União de Moradores da Cidade Baixa, afirmou que é necessário que seja feito um Estudo de Impacto de Vizinhança pelo Ministério Público que comprove que o bairro não pode ter mais Carnaval. "É muita gente e não comporta toda essa estrutura que é montada na região", destacou. Segundo ela, também houve problema com o som alto e com a dispersão do público que deveria deixar o local depois das 21h de sábado quando encerrou a festa. No entanto, muita gente preferiu ficar na rua da República até às 6h de domingo.

A moradora Ida Trein, do edifício Margarida, afirmou que é preciso ter muita vontade e gostar muito de morar na Cidade Baixa nos últimos tempos. "Tá um inferno e uma bagunça a região", ressaltou ela enquanto tentava remover uma pichação da parede do edifício. Além disso, ela lavou a frente do prédio que amanheceu com forte cheiro de urina. O circuito Cidade Baixa do Carnaval de Rua de Porto Alegre 2019 continua na terça-feira, dia 5, com apresentação dos blocos Rua do Perdão e Deixa Falar.

Em nota, a prefeitura de Porto Alegre se manifestou na manhã deste domingo. Leia a íntegra abaixo: 

"A empresa promotora do Carnaval de Rua POA 2019, Impacto Vento Norte Produções Técnicas, disponibilizou uma equipe de 20 pessoas para limpeza e conservação do perímetro antes e após o evento, com serviço de varrição e lavagem. No entanto, uma multidão seguiu nas ruas da Cidade Baixa após o fim da festa. A limpeza pós-festa começou imediatamente e mais de duas toneladas de lixos foram recolhidas. Um caminhão-pipa foi usado para lavar a Rua da República e áreas próximas. Toda a ação de limpeza foi registrada por fotos e vídeos. Mais de 50 latas de lixo foram espalhadas pela área. A Secretaria Municipal de Serviços Urbanos, por meio do DMLU, realiza na manhã deste domingo, das 8h às 12h, a limpeza do rescaldo da noite, dentro da programação normal das equipes de plantão aos domingos".