capa

Primeira noite de desfiles no Porto Seco ocorre nesta sexta

Entre as agremiações que se apresentam a partir das 22h está a atual vice-campeã da Série Ouro

Por
Christian Bueller

Duas noites de desfiles terão representantes das duas séries e não haverá rebaixamento

publicidade

A espera acabou. Os tamborins do nosso Carnaval vão, finalmente, repicar. Depois de um 2018 sem desfiles em Porto Alegre, as escolas de samba voltam ao Complexo Cultural Porto Seco a partir desta sexta-feira. As agremiações dos grupos Ouro, que não desfilam desde 2017, e Prata, que estão fora da folia desde 2016, quando integravam o Grupão, além de uma tribo carnavalesca, se organizaram de forma independente para entrar na avenida. As duas noites terão representantes das duas séries e não haverá rebaixamento. 

Escola convidada, a Academia Samba Puro começa as apresentações a partir das 22h, com o enredo "Abram as cortinas da folia, o teatro hoje é tema na passarela da alegria". Na sequência, a Academia de Samba Praiana homenageia a Mangueira do Rio de Janeiro com "Praiana apresenta: 90 anos de poesia em verde e rosa. Salve a Estação Primeira". Fidalgos e Aristocratas vem na sequência com o enredo "Quem não dança, dança" e a Realeza encerra a Série Prata da noite com "Valente Guerreira, Dandara dos Palmares, a verdadeira princesa brasileira". 

Já na madrugada de sábado, entram as escolas da Série Ouro. Sexta colocada em 2017, Bambas da Orgia apostará em "É tempo de liberdade! No centenário de Mandela, sou Bambas da Orgia, a águia altaneira da igualdade". Em seguida, a União da Vila do IAPI, atual vice-campeã da categoria, leva "O voto é tua única arma, prazer! Sou Alceu Collares, de Bagé" para o Porto Seco. O cavaquinho silencia depois que a Imperatriz Dona Leopoldina apresentar "Alô bateria! Chegou a hora, a fantasia se faz realidade, vamos exaltar Triunfo, o berço nobre do General Farroupilha". A escola ficou em último lugar em 2017, mas não foi rebaixada. 

O presidente da União das Escolas de Samba do Grupo de Acesso do Carnaval de Porto Alegre (UECGAPA), Arlindo Mença, o Baia, está com boas expectativas, apesar da delicada situação financeira, já que as próprias agremiações organizaram o evento, sem os recursos da Prefeitura ou da Liga Independente das Escolas de Samba de Porto Alegre. "Estamos sedentos por Carnaval. São dois anos sem desfiles (em 2017, desfilaram apenas as escolas do Grupo Especial, hoje Ouro, e em 2018 não houve apresentações na Orla do Guaíba devido à previsão de chuva). Mas dissemos que faríamos e vai ter Carnaval sim".

Não haverá arquibancadas no Porto Seco. O modelo apresentado não foi autorizado pelos bombeiros e o tempo para encontrar outro ficou curto. A expectativa, porém, é de que até 25 mil pessoas prestigiem os desfiles. "Teremos camarotes e duas arenas com mesas e cadeiras para receber a comunidade carnavalesca", assinalou. "Estão chamando de Carnaval da resistência. E é mesmo", comenta. Neste sábado, outras oito agremiações - uma tribo, quatro da Série Prata e três da Série Ouro. Duas escolas de samba que disputaram o Carnaval em 2017, não desfilarão neste ano. A Embaixadores do Ritmo encerrou suas atividades e a Acadêmicos de Gravataí alegou falta de recursos.

Ordem de desfile:

22h - Samba Puro

22h50min - Praiana

23h55min - Fidalgos 

0h55min - Realeza

1h55min - Bambas da Orgia

3h05min - União da Vila do IAPI

4h15min - Imperatriz