Sete escolas de samba abrem desfiles em São Paulo
capa

Sete escolas de samba abrem desfiles em São Paulo

Primeira agremiação a se apresentar no Sambódromo do Anhembi é a Colorado do Brás

Por
Correio do Povo

Vice-campeã do Carnaval de São Paulo, Acadêmicos do Tatuapé desfila nesta sexta

publicidade

Sete escolas de samba do Grupo Especial prometem surpreender entre a noite desta sexta-feira e o amanhecer de sábado na abertura dos desfiles em São Paulo. O espetáculo será aberto pela estreante Colorado do Brás, que conquistou o direito a desfilar na elite com o vice-campeonato de Acesso em 2018 e agora quer mostrar que a felicidade supera os problemas, liberta e traz vitórias.

A agremiação vai brincar com a música "Jambo Bwana", do grupo queniano Boney M, que lançou para o mundo a expressão "Hakuna Matata", representando "sem problemas", "seja livre", "seja feliz". A música tinha como objetivo atrair turistas para o país que acabara de se libertar de uma ditadura e convida para que todos possam conhecer os cantos de fé, os cantos populares, as danças, os rituais e todas as manifestações relacionadas à cultura. No fim, a música utiliza a expressão "Hakuna Matata" para mostrar a felicidade do povo em receber as pessoas que desejassem conhecer a sua história e sua cultura. 

Na sequência vem a Império da Casa Verde, sexta colocada no ano passado. A escola vai homenagear o cinema, apostando em um dos clássicos de "Star Wars", "O Império Contra-Ataca" - originalmente lançado em maio de 1980, tornou-se um clássico do cinema entre fãs e críticos. No sambódromo, a agremiação vai comemorar os 124 anos da tecnologia que revolucionou a humanidade, retratando e relembrando grandes clássicos da sétima arte. Além disso, também vai mostrar o contexto individual de cada obra e as modificações que Hollywood sofreu na sua história através de gêneros e moda. A intenção é apresentar uma divertida viagem "hollywoodiana", onde os personagens principais serão os foliões, representando ídolos e estrelas das telonas.

Terceira a desfilar, a Mancha Verde apostará na história de uma princesa africana, retratando as lutas de Aqualtune pelos direitos nos negros e das mulheres, da escravidão e também da intolerância religiosa. O enredo "Oxalá, salve a princesa! A saga de uma guerreira negra" conta a história da princesa que nasceu no Congo e veio para o Brasil escravizada. Ela foi mãe de Ganga Zumba e avó de Zumbi dos Palmares. A escola ficou em terceiro lugar no ano passado e obteve pontuação máxima.

Já a Acadêmicos do Tucuruvi, que teve 90% das fantasias consumidas por um incêndios e, por conta disso, desfilou e não foi avaliada no ano passado, permanceu no Especial e será a quarta escola a entrar no Sambódromo do Anhembi. Agora, a escola aposta no enredo "Liberdade, o canto retumbante de um povo heroico", que aborda a luta pela liberdade na história do Brasil desde o descobrimento até os dias atuais. O samba-enredo questiona: "Por que se esqueceu dos seus ideias?". E ainda diz: "Quem sabe faz a hora, não espera acontecer. Apesar de você... Vamos romper as barreiras. Erguer as bandeiras, por mais união. Oh! Meu Brasil".

Quinta agremiação a se apresentar, a bicampeã do Carnaval de São Paulo brigará pelo tricampeonato homanegeando os guerreiros do mundo e do Brasil com "Bravos Guerreiros, pela honra, pela justiça, pelos que precisam de nós". No tema da Acadêmicos do Tatuapé, desenvolvido pelo carnavalesco Wagner Santos, a escola vai celebrar os guerreiros que gravaram seu nome na história em defesa dos menos favorecidos e também destacar os brasileiros, considerados guerreiros do cotidiano. O enredo fará uma imersão completa pela linha do tempo, cujos personagens, donos de fé, coragem, audácia e determinação, contaram a história em busca de dias melhores e mudanças positivas em favor dos povos. 

A X-9 Paulistana é a penúltina a entrar na avenida nesta primeira noite. A escola vai homenagear o cantor e compositor Arlindo Cruz, que completa 60 anos em 2019, destacando o Cacique de Ramos - tradicional bloco carioca e "berço" do cantor - e lembrando a Império Serrano, escola "do coração" do sambista - os componentes usarão a fantasia "No ato de amor, abracei a coroa imperial", em tons de verde. Outra fantasia representará a música "O Show tem que continuar", composta na época em que Arlindo pertencia ao grupo Fundo de Quintal. Diferente de outras ocasiões, o samba-enredo "Meu lugar é cercado de luta e suor, esperança num mundo melhor! O show tem que continuar" não foi escolhido através de concurso. Poetas e artistas foram convidados para compor a canção sobre Arlindo, que é assinada por André Diniz, com participação de Arlindinho, filho do cantor. 

A responsável por encerrar o primeiro dia de desfiles em São Paulo é a Tom Maior, que vai apresentar o samba-enredo "Penso, logo existo - As interrogações do nosso imaginário, na busca do inimaginável". Inspirado no filósofo francês René Descartes, a quarta colocada no Carnaval de 2018 questionará "De onde eu vim?" e "Para onde vou", citando crença e mitologia no Sambródromo do Anhembi.

Ordem dos desfiles:

23h15min - Colorado do Brás
0h20min - Império da Casa Verde
1h25min - Mancha Verde
2h30min - Acadêmicos do Tucuruvi
3h35min - Acadêmicos do Tatuapé
4h40min - X-9 Paulistana
5h45min - Tom Maior