Sete escolas de samba fecham desfiles do Grupo Especial no Rio
capa

Sete escolas de samba fecham desfiles do Grupo Especial no Rio

Apresentações começam na noite desta segunda

Por
Correio do Povo

Atual vice-campeã, Paraíso do Tuiuti desfila nesta segunda

publicidade

A disputa da elite do Carnaval carioca termina nesta segunda-feira, com a apresentação de mais sete agremiações na Marquês de Sapucaí. A São Clemente abre as apresentações com uma reedição do enredo "E o samba sambou", de 1990. A escola fará uma crítica bem-humorada à mercantilização do samba, abordando a paixão dos sambistas, a essência de uma grande festa popular e a saudade dos antigos Carnavais.

Já a Vila Isabel vem com "Em nome do Pai, do Filho e dos Santos, a Vila canta a cidade de Pedro", que saudará e contará o legado de Petrópolis, uma cidade construída por imigrantes e que se consagrou como a cidade imperial. O enredo vai da construção à celebração da Princesa Isabel.

Terceira a desfilar, a Portela, que completa 95 anos de história em 2019, vai homenagear a cantora Clara Nunes com "Na Madureira moderníssima, hei sempre de ouvir e cantar um sabiá". A escola destacará a diversidade e a atualidade da biografia e do repertório da artista, que marcou época ao ser a primeira cantora brasileira a vender mais de 100 mil cópias.

Logo depois, a União da Ilha promoverá um encontro fictício entre dois ícones da literatura cearense em pleno sambódromo. A escola apostará em "A peleja poética entre Rachel e Alencar no avarandado céu" para destacar Rachel de Queiroz e José de Alencar. Durante a evolução, a agremiação também vai homenagear o Ceará.

O vice-campeonato inédito em 2018 serviu de motivação para a Paraíso do Tuiuti lutar pelo pódio. A escola vem em 2019 com o enredo "Salvador da Pátria", contando a história do Bode Ioiô, animal que recebeu votos suficientes para ser eleito vereador em Fortaleza, na década de 1920. 

Na sequência, a Estação Primeira de Mangueira vem com "História para ninar gente grande". A escola pretende contar o lado não oficial de personagens da História do Brasil, propondo uma narrativa de "páginas ausentes" e repensando as narrativas oficiais que foram ensinadas ao longo de gerações para os brasileiros.

Fechando a disputa da elite do Carnaval do Rio de Janeiro, a Mocidade Independente de Padre Miguel apostará no enredo "Eu o Tempo. O Tempo é Vida", mostrando a relação entre a humanidade e a contagem da passagem do tempo. Os destaques ficam por conta do tempo e suas engrenagens.

Ordem dos desfiles:
21h15min - São Clemente
22h20min - Vila Isabel
23h25min - Portela
0h30min - União da Ilha
01h35min - Paraíso do Tuiuti
02h40min - Mangueira
03h45min - Mocidade