Casa da Cultura Hip Hop de Esteio anuncia doação de alimentos para professores com salário atrasado
capa

Casa da Cultura Hip Hop de Esteio anuncia doação de alimentos para professores com salário atrasado

Programa da casa possui 600 quilos de comida disponível para dividir com os educadores do Estado

Por
Correio do Povo

Casa da Cultura Hip Hop Esteio irá dividir alimentos com os professores que estão com salário atrasado

publicidade

A Casa da Cultura Hip Hop Esteio (rua José Guimarães, 203, São Sebastiao) anunciou, nessa quinta-feira, doação de alimentos para os professores que estão com os salários atrasados. Em uma publicação na página do Facebook, a casa informou que o programa "Hip Hop Alimentação" tem 600 quilos de comida disponível para dividir com os educadores e basta entrar em contato para retirada. 

O Cpers Sindicato promoveu, na tarde dessa quinta-feira, um pedágio solidário, na Esquina Democrática, no Centro de Porto Alegre. A entidade arrecadou alimentos e valores em dinheiro para serem encaminhados aos professores em pior situação financeira. 

O Governo do Estado cortou o ponto dos professores grevistas em 22 de novembro. Atualmente essa suspensão de salário se estende a cerca de 17 mil servidores, com descontos em folha. O futuro da paralisação será debatido numa reunião entre o Cpers e a Secretaria da Educação no dia 10 de janeiro. 

A presidente do Cpers Helenir Schürer solicitou que a reunião fosse seja antecipada para o dia 6. "A ideia é que mais rapidamente possamos fazer com que os alunos sejam atendidos. As aulas só serão recuperadas quando tivermos a certeza que não teremos corte no ponto ou que não iremos trabalhar de graça", afirmou Helenir. O governo não sinalizou se há possibilidade de antecipação do encontro.

Seduc condiciona negociação à conclusão do ano letivo

Em nota, a Secretaria da Educação informou que “só haverá negociação em relação ao corte do ponto dos grevistas após a recuperação total do ano letivo”. Segundo o texto, 115 escolas (de um total de 2,5 mil) continuam totalmente paralisadas em função da greve dos professores.