Com mais sátira política e igualmente niilista, "Black Mirror" estreia 5ª temporada nesta quarta
capa

Com mais sátira política e igualmente niilista, "Black Mirror" estreia 5ª temporada nesta quarta

Três novos episódios serão disponibilizados na Netflix

Por
Correio do Povo

Um dos motivos do sucesso, segundo os especialistas, é a narrativa que contém uma grande crítica ao que a humanidade tem se tornado

publicidade

A partir de quarta-feira, os amantes de uma das séries mais badaladas dos últimos tempos no universo do streaming podem acompanhar os novos episódios de “Black Mirror: Temporada 5”, na Netflix. Na continuidade da série, o produtor Charlie Brooker traz de volta uma grande crítica ao que a humanidade tem se tornado, novamente com roteiros inteligentes que têm apresentado tramas que revelam conflitos sociais e do indivíduo na contemporaneidade. Ele sugeriu que haverá “uma mistura” do tom niilista da marca e alguns capítulos levemente mais claros.

Ao todo, são três narrativas. A primeira é "Smithereens", no qual um motorista de táxi com uma agenda (Andrew Scott) se torna o centro das atenções em um dia que rapidamente sai de controle. Em "Rachel, Jack and Ashley, Too", uma adolescente solitária anseia por se conectar com sua estrela pop favorita – interpretada por Miley Cyrus –, cuja existência charmosa não é tão cor-de-rosa quanto parece. Angourie Rice e Madison Davenport também estrelam. Finalmente, em "Striking Vipers", dois amigos da faculdade que se reencontram, mais tarde se unem, desencadeando uma série de eventos que podem alterar suas vidas para sempre. Anthony Mackie, Yahya Abdul-Mateen II, Nicole Beharie, Pom Klementieff e Ludi Lin formam o elenco.

Mais sátira política

Os novos episódios serão mais explicitamente políticos em seu tom e podem ser de grande importância. O espetáculo profético, que supostamente previa a ascensão de Trump no episódio de 2013 "The Waldo Moment" se  voltando à sátira. Falando com a co-criadora Annabel Jones para o novo livro “Inside Black Mirror”, ele explicou: “A quinta temporada verá as saídas habituais da norma. Vamos refletir o clima político um pouco mais, porque a loucura é a nova norma".

Ele acrescentou que a quarta temporada foi relativamente livre de política porque, disse ele, "na época em que a quarta temporada estava sendo escrita, eu não tinha ideia de em que estado o mundo estaria quando chegássemos na Netflix". “Da última vez eu fiquei perguntando: 'Como você faz Black Mirror em um presente distópico?' E eu ficava dizendo: ''Bem, eu deliberadamente não escrevi um episódio sobre o Brexit, porque você não sabe como isso vai ser feito, então você teria que esperar e ver, de certa forma", disse Brooker. 

Referências a episódios antigos

O showrunner também sugeriu que pode haver espaço para expansão na nova série, com episódios que se ligam a temas que já foram explorados anteriormente. "Podemos rever as ideias antigas que fizemos, desde que criemos um novo conceito sobre ele. É mais sobre transformar o que é o programa". Em entrevista ao RadioTimes.com, Brooker acrescentou: “Há histórias em que você acha que há uma direção clara na qual a sequência pode entrar. Tivemos ideias para 'Be Right Back', 'White Bear 'e histórias como o 'USS Callister', onde há um potencial claro que podemos ver. De certa forma nós já fizemos isso", advertiu.

“Em 'The Entire History of You', montamos um sistema inteligente para lentes de contato no olho e, em 'White Christmas', vemos pessoas basicamente usando a mesma tecnologia, mas diferentes recursos dela. Há uma diferença entre a sequela e a expansão. É como construir uma segunda casa e colocar um conservatório nas costas", considerou. Em conversa com a revista NME, ele nego a possibilidade de algo ligado a "San Junipero", um dos episódios favoritos do público. "Não, certamente não em sua forma atual - eu não acho que nós revisitaríamos esses personagens a menos que nós tivemos uma razão muito boa. E duvido muito que faríamos isso como um episódio. Talvez como uma novela gráfica, mas nós não queremos separá-lo e modificá-lo, já que gostaríamos de deixar Kelly e Yorkie onde eles estão".

Filme atrasou estreia

A produção do ambicioso filme "escolha-sua-própria-aventura", "Bandersnatch", atrasou a data de lançamento da nova temporada. "Sabíamos que seria difícil, desafiador e mais complicado do que o filme normal. Mesmo assim, subestimamos ", disse ao The Hollywood Reporter em janeiro. "À medida que a história se expandiu, eu gosto de dizer que a história ficou mais longa e mais larga. Então a coisa toda começou a se expandir um pouco como um bote salva-vidas inflável em uma pequena sala".

Originalmente, "Bandersnatch" fazia parte da quinta temporada, mas como eles trabalhavam mais, ficou claro que era o equivalente a fazer uma temporada inteira em si. Brooker acrescentou: "Sabíamos que isso afetaria nosso tempo, mas isso não nos impediu de fazer outros filmes. Acho justo dizer que nos levou mais tempo e esforço do que havíamos previsto inicialmente".

A antologia já se transformou em uma das séries mais famosas dos últimos anos. Inicialmente tratava-se de uma série britânica exibida pelo Channel 4. Mas, depois de três temporadas, foi comprada pela gigante dos streamings e começou a experimentar um grande sucesso com o crescimento de seu público, em todo o mundo. Envolventes em sua dinâmica e apuradas em sua estética audiovisual, as outras temporadas da série já exploraram campos como a tecnologia, a falta de empatia e até a ambição doentia dos seres humanos na atualidade.

Confira o trailer dos novos episódios