Contardo Calligaris, escritor e psicanalista, morre aos 72 anos em São Paulo

Contardo Calligaris, escritor e psicanalista, morre aos 72 anos em São Paulo

Calligaris estava internado no hospital Albert Einstein em tratamento contra um câncer

Arte & Agenda

O psicanalista publicou seu último texto na Folha de SP em 17 de fevereiro

publicidade

O escritor, psicanalista e dramaturgo Contardo Calligaris, de 72 anos, morreu nesta terça-feira (30) em São Paulo. A informação foi confirmada por seu filho, Max Calligaris, em uma postagem no Instagram.

O psicanalista estava internado no Hospital Albert Einstein, na Zona Sul de São Paulo, onde realizava tratamento contra um câncer.

Na postagem na rede social, Max escreveu: "'Espero estar à altura.' Diante da proximidade da morte, essa foi a frase do meu pai. Ele se foi agora".

Colunista da "Folha de S.Paulo" desde 1999, Calligaris publicou seu último texto no jornal em 17 de fevereiro.

Trajetória 

Nascido em Milão, na Itália, em 2 de junho de 1948, Calligaris conheceu o Brasil, em 1986, quando veio ao país dar palestras sobre seu primeiro livro de psicanálise, "Hipótese sobre o fantasma".  Mais tarde optou por morar e casar por aqui.

Sua trajetória foi marcada pela reflexão sobre a existência humana. Publicou diversos livros, incluindo romances e uma peça teatral. Também criou a série de televisão intitulada “Psi”, da HBO, dirigida por Max Calligaris e Marcus Baldini. 

O psicanalista refutava a promessa de uma vida feliz. Para ele, o que importava era ter uma vida interessante. Simples e desafiadora, a ideia acabou se tornando o tema central do Fronteiras do Pensamento 2019: “Os Sentidos da Vida na Contemporaneidade”.

Calligaris estudou Letras e de Filosofia. Em 1975, foi aceito como membro da Escola Freudiana de Paris, onde morou até 1989. Lecionou na Universidade Paris 8 e teve aulas com os filósofos franceses Roland Barthes e Michel Foucault, além de acompanhar os seminários do psicanalista francês Jacques Lacan.


publicidade

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895