Da dança às novelas

Da dança às novelas

Atriz, bailarina e diretora, a gaúcha Cássia Sanches dá vida a Adália em “Gênesis”, superprodução bíblica da Record TV

Camila Souza*

A artista gaúcha Cássia Sanches vive personagem Adália na 'Gênesis'

publicidade

Há quem escolhe a arte como profissão ao longo da vida e há quem já nasce com ela no sangue. Esse último é o caso de Cássia Sanches, nascida em Pelotas. Com uma bisavó musicista, avó e mãe dançarinas, ela cresceu encantada pela arte em suas mais diversas formas. Hoje, com 26 anos, formada em Cinema, bailarina profissional, maquiadora, diretora, produtora e cantora, Cássia vive Adália em “Gênesis”, superprodução bíblica da Record TV. Enquanto estreia sua nova personagem, ela expande uma companhia de dança em sociedade com a mãe, Anaí Sanches. A jovem cresceu acompanhando o trabalho de sua mãe como dona de uma academia de dança. “Minha mãe dançou enquanto estava comigo na barriga”, conta. Anaí não precisou fazer esforço para que sua filha se tornasse uma artista, já que a arte era um elemento muito presente na vida de Cássia.

“Teve um momento em que eu percebi que queria saber mais sobre isso, queria estudar e nem pensei em ser uma profissional. Só queria me desafiar, eu gostava daquilo”, explica. Ela compara suas descobertas na arte com um corredor cheio de portinhas. “Cada portinha tinha uma modalidade diferente, eu brincava de entrar em cada uma, cada portinha era um mundo pra mim”, detalha. Aos 7 anos, se mudou para o Rio de Janeiro, onde fez cursos e deu início à carreira artística, sempre contando com o apoio e incentivo da mãe, sua principal referência. “Ela é uma mulher muito guerreira, forte e doce. Não deixou as dificuldades da vida enrijecerem ela. Sem dúvidas, é minha maior inspiração”, afirma a atriz.

Com muitas habilidades, Cássia expressa seus talentos de diversas formas, nos palcos e nas telas. Ela já viveu Salomé em “Milagres de Jesus” e Najara em “A Terra Prometida”, novelas bíblicas da Record TV. Agora, ela dá vida a Adália em “Gênesis”. A personagem, filha de Lamassi e Iafa, é a melhor amiga de Sara e vai formar par romântico com Naor. A atriz conta que se identifica com Adália e que isso traz uma certa facilidade para interpretá-la. “Eu ouso dizer que fui escolhida por uma similaridade energética. Ela é ‘linguaruda’ e eu também sou. Falo pelos cotovelos. Ela tem muita vida, é muito apaixonante e em tudo coloca paixão e intensidade”, revela. Apesar das semelhanças, o trabalho trouxe desafios e exigiu uma preparação específica. “O maior desafio foi ter em mãos essa personagem tão moderna, à frente do seu tempo e, ao mesmo tempo, não poder ser contemporânea nos gestos, na forma de se movimentar”, explica. Aulas de história, cultura, geografia, moral e hábitos da época foram essenciais.

A experiência anterior em novelas bíblicas ajudou neste novo desafio, mas as personagens eram muito diferentes. Para Cássia, a individualidade de cada personagem é sempre o mais divertido de se trabalhar. “Estou ansiosa para saber como vai ser a leitura do público em relação a Adália”, afirma a atriz, que deve estrear sua nova personagem nos próximos dias. O novo trabalho na televisão trouxe junto a experiência de gravar durante a pandemia. Cássia conta que as gravações da novela foram retomadas no início de novembro do ano passado com muitas mudanças, entre elas o uso frequente de máscaras, mudança nos camarins, itens de maquiagem individuais, além de diversas cenas que foram adaptadas para evitar contato. “Foi um respiro voltar a trabalhar, dar continuidade a tudo aquilo que a gente estava construindo e que foi interrompido de repente”, diz. “Gênesis” vai ao ar de segunda a sexta, às 21h. A novela é escrita por Camilo Pellegrini, Raphaela Castro e Stephanie Ribeiro. Direção-geral de Edgard Miranda.

A intérprete de Adália também se destaca em trabalhos fora da televisão. Ela dirigiu os clipes musicais “Segredo”, de Fábio Coco, e “Aprendiz”, de Nanda Garcia, e passou quatro anos em turnê como artista circense com o Grupo Tholl.

Inspirada pela trajetória da mãe, Cássia sonhava em ter uma academia de artes e fundou o Anaí Sanches Cia de Dança, onde também leciona. O espaço é localizado no Rio de Janeiro. Em 2020, devido à pandemia, a artista optou por não fazer espetáculos. Nesse cenário, produziu um filme com os alunos. O “Elas por Elas” conta a história de mulheres. Foi gravado ao redor do Aterro do Flamengo, ao ar livre. Será transformado em uma websérie no YouTube. Por meio de diversas expressões, Cássia quer fazer com que a arte seja cada vez mais presente na vida de outros.

*Sob supervisão de Adriana Androvandi


publicidade

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895