Entre solos, comédias e dramas

Entre solos, comédias e dramas

Agenda teatral oferece espetáculo on-line e presenciais, nesta sexta-feira em Porto Alegre

Correio do Povo

Cena de "Leonel", sobre a trajetória de Leonel Brizola, que pode ser conferido desta sexta até domingo, às 21h, no Teatro Dante Barone

publicidade

O Coletivo Teatro da Crueldade retorna com “Útero”, desta sexta até o dia 30, em sistema on demand, no qual fica disponível para assistir em qualquer horário e lugar que quiser.

O solo de Karine Paz dirigido por Marcelo Réstori propõe o debate sobre os conflitos, pulsões e fantasias da mulher contemporânea, mesclando teatro, performance, dança e cinema. "Útero representa as mulheres, porque é, simbolicamente, a casa da alma feminina, capaz de parir a própria mulher, gestando seus sonhos e concebendo projetos. Uma morada na qual todas as mulheres podem se acolher, por ser o lugar de onde todos viemos", diz Réstori. Com 30min de duração e impróprio para menores de 18 anos, tem criação audiovisual de Fredericco Restori e trilha de Flu. Ingressos no site www.entreatosdivulga.com.br.
O Porto Verão Alegre oferece quatro espetáculos de vários estilos hoje, com ingressos pelo site do festival e acesso mediante apresentação do comprovante vacinal.

O stand up comedy “Preta no Branco”, de e com Nelly Voelho e Rodrigo Kão, está na Casa de Espetáculos (Visconde do Rio Branco, 691). No palco, a reflexão bem-humorada, porém, bem séria sobre questões como racismo, homofobia, xenofobia, feminicídio, machismo, entre outras que assolam nossa sociedade. No Teatro de Arena (altos do viaduto da Borges de Medeiros), o clássico local “Goela Abaixo ou por que tu não bebes?”, em cartaz há 17 anos, tem sessões até domingo, 20h. Ambientada em uma cervejaria comunista do leste europeu nos anos 1970, a comédia traz o mestre-cervejeiro (Margarida Peixoto) tentando embriagar seu funcionário Vanek (Marcelo Ádams), para obter informações secretas, ao mesmo tempo em que bebe loucamente. A dupla vive situações divertidas e um tanto patéticas.

Na Sala Carlos Carvalho (Andradas, 736, 2º andar), às 20h30min, “Pessoa Absurda” é o solo que celebra os 40 anos de trajetória artística de Regius Brandão. No palco, a técnica de colagem, textos e poemas de diversos autores, como Albert Camus, Julien Beck, Fernando Pessoa, William Shakespeare, Oduvaldo Vianna Filho, Vinicius de Moraes, Domingos de Oliveira, Antonio Fagundes, Mario Quintana e do próprio ator, dramaturgo e diretor. O ponto de partida é o texto “O Comediante” de Albert Camus em sua obra “O Mito de Sísifo”. Para falar da vida de um ator, Regius apresenta uma sequência de textos e poemas que marcaram a sua trajetória no teatro e na vida.

Já no Teatro Dante Barone da Assembleia Legislativa, de hoje a domingo, 21h, “Leonel” tem direção de Caco Coelho e homenageia o centenário de nascimento de Leonel Brizola, que esteve à frente do movimento da Legalidade, foi único político brasileiro a governar dois Estados – Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul – e atuou ativamente nas Diretas Já. Cerca de cem personagens são representados por 15 atores, sendo o protagonista, vivido por Paulo Roberto Farias, Lizando Pires Belotto e o próprio Caco Coelho, em fases distintas. A atuação política, a luta armada, a relação com Neusa Brizola, o exílio e a luta pela soberania do povo estão no palco, na narrativa que prioriza o lado humano do homem presente nos maiores movimentos cívicos de nossa história.


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895