Escritor Voltaire Schilling lança quatro obras nesta quinta-feira em Porto Alegre
capa

Escritor Voltaire Schilling lança quatro obras nesta quinta-feira em Porto Alegre

Em um dos livros, autor aborda sofrimento dos judeus durante o holocausto

Por
Correio do Povo

Voltaire Schilling também é historiador, com experiência no ramo há mais de 30 anos

publicidade

Destacado palestrante internacional sobre a história do pensamento, Voltaire Schilling autografa em Porto Alegre quatro obras de sua autoria, todas com o selo da Editora AGE. O evento será realizado nesta quinta-feira no saguão do Centro Municipal de Cultura (Erico Verissimo, 307), das 18h30min às 21h, com entrada gratuita. 

Em “Holocausto: Das origens do povo judeu ao genocídio nazista”, o intelectual afirma que “pela sua dimensão, essa matança que ceifou a vida de 6 milhões ou mais de judeus causou um profundo abalo nas sociedades que se consideravam superiores e que se achavam bem acima do universo de primitivismo e barbárie que as cercavam”.

Os estudos de Voltaire sobre o líder do III Reich começaram muito cedo, desde as histórias que ele ouvia na infância, sobre a guerra recém-finda e que são o mote de “Ascensão e Queda de Adolf Hitler”. “Minha intimidade com a desastrosa política de Hitler vem de muito tempo, fazendo também por alcançar meus primeiros anos e a vida dos meus familiares”, diz.

Em “Nietzsche: em Busca do Super-Homem”, Voltaire começa afirmando: “Sabemos, todos nós, ser Nietzsche autor de uma obra impressionante, com muitas janelas e portas para se deixar olhar ou entrar. O interior dela, porém, é imenso e, por vezes, inescrutável”.

Com mais de 300 páginas, “Modernismo & Antimodernismo” é um conjunto de vivos recortes de momentos históricos diferentes, que procuram situar no tempo a emergência dos movimentos modernistas mais significativos e quais foram suas relações com as estruturas socioeconômicas e com o poder ideológico da sua época.

História entre as páginas da vida

Voltaire Schilling leciona História há mais de 30 anos em diversas instituições de ensino. Foi diretor do Memorial do RS e escreveu quase 20 livros e cerca de 50 trabalhos menores. Em 2005 foi distinguido com a Medalha Cidade de Porto Alegre por relevantes serviços prestados; em 2006 foi eleito Intelectual do Ano, no Prêmio Joaquim Felizardo; e em 2008, membro da Academia Rio-Grandense de Letras. Em 2010 foi um dos indicados ao Prêmio Darcy Ribeiro.