"Esqueceram que fui pioneiro em dar destaque a mulheres no cinema", diz Weinstein
capa

"Esqueceram que fui pioneiro em dar destaque a mulheres no cinema", diz Weinstein

Produtor de Hollywood enfrentará julgamento que pode sentenciá-lo à prisão perpétua

Por
AFP

Produtor deverá enfrentar julgamento que pode sentenciá-lo à prisão perpétua

publicidade

Harvey Weinstein, o megaprodutor hollwyoodiano que caiu em desgraça após dezenas de denúncias de crimes sexuais, reclamou que o mundo esqueceu de seu pioneirismo por dar destaque a mulheres em seus principais filmes. O outrora todo-poderoso produtor de filmes, cujo caso lançou o movimento #MeToo contra o assédio sexual, enfrentará um julgamento no próximo mês que pode sentenciá-lo à prisão perpétua.

"Eu me sinto um homem esquecido. Fiz mais filmes dirigidos por mulheres e sobre mulheres do que qualquer cineasta e isso há mais de 30 anos. Não estou falando agora, que é moda. Fiz isso primeiro! Fui pioneiro! Tudo foi esquecido por causa do que aconteceu", revoltou-se o produtor de 67 anos, em entrevista ao jornal The New York Post. 

Na semana passada, ele chegou a um acordo de 25 milhões de dólares com mais de 30 atrizes e ex-funcionários que o processaram por crimes que variam de assédio sexual a estupro. Weinstein não terá que admitir irregularidades ou pagar do próprio bolso, de acordo com o portal de notícias TMZ. 

Em vez disso, o pagamento será feito pelas seguradoras de seu antigo estúdio de cinema, agora falido, The Weinstein Company. "Tudo o que Harvey Weinstein fez profissionalmente por mulheres é ofuscado pelas sérias alegações de má conduta sexual por mais de 60 mulheres", disse a advogada Gloria Allred, que representa alguns dos acusadores, em comunicado à ABC News.

"Ele não foi esquecido. Ele é um réu em um caso criminal de destaque no qual é acusado de crimes graves contra mulheres, incluindo estupro, agressão sexual criminal e alegações de agressão sexual predatória", acrescentou. As acusadores de Weinstein incluem algumas das atrizes mais famosas do mundo - como Angelina Jolie, Gwyneth Paltrow e Salma Hayek -, embora nenhuma faça parte do processo.