Famosos lamentam a morte de Diego Maradona nas redes sociais

Famosos lamentam a morte de Diego Maradona nas redes sociais

Maior ídolo do futebol argentino morreu na quarta-feira (25), aos 60 anos, após sofrer uma parada cardiorrespiratória

R7

Diego Maradona morreu na quarta-feira (25)

publicidade

Famosos usaram as redes sociais para lamentar a morte de Diego Armando Maradona, que faleceu nesta quarta-feira (25), após sofrer uma parada cardiorrespiratória.

Celebridades como Maluma e Bruno Gagliasso escreveram mensagens de pesar e homenagearam a trajetória do maior ídolo da história do futebol argentino.

Veja a repercussão:

 

Maradona: o herói 'torto' deixa Argentina órfã de seu maior ídolo

Diego Armando Maradona fez 60 anos em outubro, principal mês para ele, quando aconteceram muitos fatos marcantes em sua carreira. Menos de um mês depois de se tornar sexagenário, ele não resistiu aos seus inúmeros problemas de saúde e, em decorrência de uma parada cardiorrespiratória, morreu nesta quarta-feira (25), deixando a Argentina órfã de seu maior ídolo.

Maradona via o mês de outubro como especial. Foi o mês da estreia na primeira divisão argentina, em 1976, com o Argentinos Juniors; do primeiro jogo com o Sevilla, em 1992; da última partida com o Boca Juniors, em 1997; da apresentação como técnico da seleção, em 2008; e é também o mês em que nasceu há 60 anos. 

“Às vezes penso que toda a minha vida é filmada, que toda a minha vida está nas revistas. E não é assim, né? Não é assim. Há coisas que só estão aqui, no meu coração, e que ninguém sabe”, afirmou Maradona.

Maradona nasceu em Villa Fiorito, nos arredores de Buenos Aires. Ele é um jogador de futebol incomparável, insuperável, indescritível em campo, embora com uma história bem diferente fora dos gramados. Nesses 60 anos, o 'Pibe de Oro', como é chamado, tocou o mais alto e rastejou pelo submundo.

Como astro do futebol, Maradona foi o mágico que liderou a Argentina na Copa do Mundo de 1986, no México. Foi lá que aconteceu o famoso gol de mão, contra Inglaterra, e, no mesmo jogo, que fez um dos gols mais bonitos da vida dele. "Com o tempo, disse que fiz o segundo gol na Inglaterra foi para que depois não fosse falado que a classificação era por causa do gol com a mão", explicou rindo Maradona no 34º aniversário do gol majestoso.

"Não posso pedir mais da vida”, afirmou Maradona. Ele participou de quatro Copas do Mundo (Espanha 1982, México1986, Itália 1990 e Estados Unidos 1994 - banido por doping), é o grande ídolo do Boca Juniors e do Napoli, na Itália, quando conquistou dois títulos nacionais.

Após aposentadoria em 1997, o camisa 10 não conseguiu fugir de sua paixão, o futebol. Ele virou treinador e trabalhou em várias equipes e países. A passagem pela seleção argentina na Copa do Mundo de 2010, na África do Sul, foi o evento mais significativo da carreira como técnico.

Maradona treinou o Deportivo Mandiyú (2004), Racing Club (1995), Al Wasl (2011-2012) e Al Fujairah (2017-2018) dos Emirados Árabes Unidos, e Dorados de Sinaloa mexicanos (2018-2019).

Ele comandava o Gimnasia y Esgrima La Plata em seu país, clube com o qual mantinha contrato até dezembro de 2021. “O torcedor de ginástica me lembra o napolitano por sua paixão”, reconheceu o argentino.

O argentino se coloca entre os maiores do futebol, ao lado de Pelé, Di Stéfano, Cruyff e atualmente Messi. Mas, fora do esporte, não construiu a mesma imagem.

No começo dos anos 2000, travou uma grande batalha contra o vício em cocaína e álcool. Maradona se internou diversas vezes em clínicas de reabilitação em Cuba e Argentina.

“Ninguém nunca me fará acreditar que os meus erros com as drogas ou com os negócios mudaram os meus sentimentos. Nada. Sou eu, Maradona”, afirma repetidamente Maradona.

Em 2004, o craque quase morreu por problemas cardíacos. ". "Eu vi a morte, juro que vi a morte. Só que o “Barba” (Deus) decidiu que não era a minha vez”, afirmou na época em programa de televisão.

Pai de cinco filhos com quatro mulheres: Dalma e Giannina com Claudia Villafañe; Diego Fernando, de Verónica Ojeda; Jana, com Valeria Sabalain, e Diego Armando, de Cristina Sinagra.

Maradona, no fim da vida, manteve distância de Dalma e Giannina, e da ex-mulher, Claudia Villafañe, de quem se separou em 2003, após quatorze anos de casamento.

Diego voltara a viver com Verónica Ojeda e com o filho Diego Fernando. Juntos passaram confinado devido à covid-19.

Apesar das diferenças com as filhas, Maradona queria  esquecer o passado com as drogas. “Aos meninos eu digo não às drogas, não. Você não participa da sociedade, não tem participação com a família, aprendi isso com a minha mãe, porque não sou rude, sou mal instruído. Quando usei cocaína, eu não tinha nada, era um zumbi. Não tente ", reconheceu em entrevista ao canal TyC Sports em dezembro de 2019.

Aos 60 anos, "Diego" queria ver o lado positivo. “Alguns contam as vezes que você caiu. Outros, as vezes que você se levantou ”, escreveu em seu relato nas redes sociais um homem que os argentinos consideram seu “deus”, com defeitos e virtudes.
 


publicidade

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895