Últimas sessões de autógrafos da 67ª Feira do Livro

Últimas sessões de autógrafos da 67ª Feira do Livro

Neste feriado, ocorrem as últimas atividades do evento

Adriana Androvandi

Público frequenta a Praça da Alfândega

publicidade

Os autógrafos deste feriado na Feira do Livro de Porto Alegre começam às 14h30min na Praça da Alfândega. Os primeiros da tarde são “Eu não era um lobisomem juvenil”, de autoria de Leandro Silveira Fleck e com ilustrações de Luís Carlos Pedroso, e “Eu Sou Assim”, de Josué Stein Pedroso, ambos de edição independente.
Entre outras atrações do dia, estão publicações de vários autores. Às 16h, haverá sessão de autógrafos coletiva de “Os porquês da poesia”, que traz textos dos poetas Vera Verissimo, Marcelo Rocha, Rafael Figueiredo e Luis Pokorski sobre processos de criação e percursos de suas escritas literárias, delimitados pelas perguntas: Por que escrever? Para quem escrever? Como escrever? E, finalmente, o que pode um poema? Nem sempre se chega a uma resposta definitiva, mas o questionamento faz parte do processo artístico. Este livro apresenta perspectivas instigantes sobre a escrita, a leitura e os leitores. Pode auxiliar quem deseja escrever poesias.
Também às 16h, ocorre duas sessões de autores individuais: "Como começar um grande negócio com pouco investimento", de César Scholz Bringmann; e "MST: como um movimento de “gaúchos” se encaixou no Nordeste", de Débora Franco Lerrer.

Às 17h30min, será a vez de "Transexualidade – Da assistência médica à conquista de direitos", de Maria Inês Rodrigues Lobato, Esalba Silveira, Hanna Betina Zacca, Paulo Leivas.

Às 18h, será realizado, no Memorial do Rio Grande do Sul, a sessão de autógrafos da coletânea “Sentimentos & Razões - Volume 5” (editora Alternativa), com uma homenagem à escritora que coorganizou as quatro edições anteriores das coletâneas: Adélia Einsfeldt, de Porto Alegre. São vários autores, com textos de gêneros diversos, como poesia, contos, crônicas e artigos. O organizador é Milton José Pantaleão Junior.




publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895