Abertas as janelas da Feira do Livro

Abertas as janelas da Feira do Livro

Inauguração oficial da 66ª edição do evento literário foi na noite de sexta-feira, transmitida direto da Fábrica do Futuro

Luiz Gonzaga Lopes

Patrono da 66ª Feira do Livro de Porto Alegre, Jeferson Tenório, recebe o troféu das mãos do presidente da CRL, Isatir Bottin Filho

publicidade

Sob o slogan “Janelas abertas para a Praça”, a 66ª Feira do Livro de Porto Alegre, a primeira virtual de sua história, teve a sua abertura oficial na noite desta sexta-feira, com transmissão direto da Fábrica do Futuro, pelo site www.feiradolivropoa.com.br. Todas as atividades da Feira até 15 de novembro serão realizadas de forma gratuita e com transmissão on-line, mantendo o caráter popular que caracteriza a Feira do Livro de Porto Alegre. Antes das falas da noite, a dupla A dupla Dejeane Arruée e Graziela Pires que forma a banda 50 Tons de Pretas, acompanhada do guitarrista Alexandre dos Santos, fez uma intervenção musical. O primeiro a utilizar a palavra foi o presidente da Câmara Riograndense do Livro, Isatir Bottin Filho. “Estamos pedindo que cada um dos leitores abra as suas janelas para a Praça e para os livros e tema. Esta edição tem a marca da resiliência e da reinvenção. Temos tudo para fazer uma feira histórica”, ressaltou.

A ex-patrona Marô Barbieri passou o patronato ao escritor Jeferson Tenório, desejando que “que tu possas te sentir à vontade nesta função e que possas seguir pela tua vida com os livros que leste, com os amigos que fizeste e com o resultado desta caminhada pela literatura”. Jeferson Tenório comentou que está muito feliz com a passada de bastão e com curadoria cuidadosa da Feira este ano. “Houve um cuidado com os temas, assuntos, autores. Esta feira é um marco, é um evento cultural querido pelos gaúchos. Espero que esta feira possa levar estes temas e o gosto pelos livros e pela leitura um número cada vez maior de pessoas”, enfatizou. A secretaria de estado da Cultura Beatriz Araujo lembrou que o 2020 está ensinando muitas coisas e que o ato de leitura foi revalorizado neste ano. “Muitos leitores estarão realmente concentrados no ato da leitura, que instiga a busca pelo conhecimento, que alimenta a alma. Isto também é o lado bom deste momento”, observou. Logo depois a abertura oficial, teve início a mesa com a escritora chilena Isabel Allende.

Neste sábado, a Feira traz Rosa Montero falando das “Sintonias da vida e da Morte”, às 15h e às 18h é a vez de Conceição Evaristo conversar com Jeferson Tenório e Natalia Borges Polesso. No domingo, dia 1º, Amara Moira, Eliana Alves Cruz e Vitor Necchi conversam sobre diferenças em “Sob os olhares do Mundo”, às 18h. Em seguida, às 19h30min, Monja Coen e Norberto Peixoto trazem o bate-papo “Um universo de semelhanças, indiferença e tolerâncias”. A programação segue ininterrupta até o dia 15 de novembro, incluindo nomes como Afonso Cruz, Ariana Harwicz, James Green, Javier Moro e Mariana Enriquez e Rosa Montero. E do Brasil ainda Drauzio Varella, Fabrício Carpinejar, José Falero, Lya Luft, Martha Medeiros, Claudia Laitano e Paulo Scott, entre muitos outros. Todas as informações da Feira estão no site www.feiradolivropoa.com.br. As ofertas e entregas de livros das 50 bancas de expositores também já estão disponíveis na aba Expositores. As transmissões são realizadas diretamente da Fábrica do Futuro. É possível interagir e enviar perguntas pelo whatsapp: (51) 998779619. 




publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895