Felicity Huffman é condenada a 14 dias de prisão por fraude em admissão universitária da filha
capa

Felicity Huffman é condenada a 14 dias de prisão por fraude em admissão universitária da filha

Ela também deve cumprir 250 horas de serviço comunitário e pagar uma multa de 30 mil dólares

Por
Correio do Povo

Atriz tem seis semanas para ir a uma prisão federal para começar sua sentença

publicidade

Um tribunal de Massachusetts condenou a atriz Felicity Huffman a 14 dias de prisão por seu envolvimento em um escândalo de admissões universitárias. A estrela de "Desperate Housewives" e indicada ao Oscar admitiu ter pago para que as respostas do SAT – exame educacional padronizado nos Estados Unidos aplicado a estudantes do ensino médio – de sua filha Sophia Macy fossem manipulados e apresentados com uma nota mais alta. Ela também deve cumprir 250 horas de serviço comunitário, um ano de liberdade supervisionada e pagar uma multa de 30 mil dólares.

Pais e treinadores esportivos estavam entre as 50 pessoas acusadas no esquema, mas nenhuma dos jovens foi indiciado. A atriz tem seis semanas para ir a uma prisão federal para começar sua sentença. Pouco antes de sua sentença, Huffman havia dito à juíza que estava "profundamente arrependida" e triste por ter colocado sua família em tal situação. "Assumo total responsabilidade por minhas ações e, como primeiro passo para reparar o meu crime, aceitarei qualquer punição que considere apropriada", disse.

Indicada ao Oscar de melhor atriz em 2006 por "Transamérica", ela disse ao tribunal que se lembra de levar Sophia ao centro de testes, onde ela havia providenciado a realização do esquema. "Lembro-me de pensar: vire-se, apenas vire-se", afirmou. "Para minha eterna vergonha, não o fiz. Fiquei assustada, fui estúpida e fiz algo muito errado. Estou profundamente envergonhada pelo que fiz", completou.

O procurador assistente dos EUA Eric Rosen, argumentou que Huffman deveria ser responsabilizada por suas ações, apesar de alegar que ela havia participado do esquema por desespero para ajudar sua filha. "Com todo o respeito ao réu, seja bem-vinda à paternidade. Não há manual de instruções. A paternidade é cansativa e estressante, mas é o que todo pai passa".

"Escâdalo nacional"

O esquema, de âmbito nacional, "facilitou trapaças nos exames de admissão universitária e na admissão de estudantes em universidades de elite como supostos atletas". Treinadores esportivos de Yale, Stanford, da Universidade do Sul da Califórnia (USC), da Universidade do Texas e Georgetown também estão envolvidos no escândalo, por aceitar estudantes em suas equipes mediante pagamento de suborno e não com base no mérito esportivo, acrescentou a procuradoria em uma declaração.

A acusação indica que o esquema começou em 2011 e reuniu um total de 25 milhões de dólares em propinas. Um acusado que colabora com a justiça e coordenou o esquema contou que ofereceu a Huffman que mediasse a correção das respostas do exame de admissão (SAT) de sua filha. Huffman é acusada de pagar 15 mil dólares pelo teste modificado de sua filha mais velha e por ter iniciado o mesmo processo para sua filha mais nova, apesar de ter abandonado a ideia.