Filme de Angelina Jolie vai representar o Camboja no Oscar

Filme de Angelina Jolie vai representar o Camboja no Oscar

"First They Killed My Father" mostra os horrores do governo ditatorial do Khmer Vermelho

Correio do Povo

Longa é uma produção da Netflix

publicidade

O longa "First They Killed My Father", dirigido por Angelina Jolie, vai representar o Camboja por uma vaga no Oscar 2018. O drama baseado no livro de memórias de Luong Ung sobre a vida sob o domínio do mortal Khmer Vermelho foi o escolhido pelo Comitê de Seleção Nacional, que fez o anúncio nesta segunda. A história, que pode ser assistida na Netflix, é contada através da personagem que representa a autora, uma jovem de cinco anos de idade, e mostra como a vida no país afetada pela chegada do grupo ao poder.

Apenas seis filmes cambojanos no total foram submetidos à Academia, o primeiro em 1994. O único que figurou entre os finalistas foi "A Imagem que Falta", de Rithy Panh, que perdeu para o austríaco "Amor" em 2013. Ano passado a submissão foi o suspense "Before the Fall", do australiano Ian White. De acordo com a revista "The Hollywood Reporter", Jolie disse que a seleção foi muito significativa para todos os envolvidos no filme. "Trabalhar com artistas locais para desenvolver essa história foi uma experiência comovente e de humildade", afirmou a cineasta e atriz, que adaptou o livro ao lado de Luong.

Um dos sete filhos de um alto funcionário do governo, esta escritora viveu uma vida privilegiada na capital cambojana de Phnom Penh até os cinco anos. Em abril de 1975, o exército de Pol Pot entrou furiosamente na cidade, forçando a família de Ung a fugir e, eventualmente, a se dispersar. Ela foi treinada como uma criança soldado em um campo de trabalho para órfãos, seus irmãos foram enviados para campos de trabalho e aqueles que sobreviveram aos horrores não seriam reunidos até que o Khmer Vermelho fosse destruído. Durante quatro anos, cerca de 2 milhões de cambojanos foram mortos pelo regimo como resultado de execuções políticas, fome e trabalho forçado. Devido ao grande número de mortos, este período é conhecido como o Holocausto cambojano ou Genocídio cambojano.

O filme gerou polêmico devido ao método de seleção de elenco usado pela equipe de produção. A polêmica surgiu após uma entrevista à Vanity Fair, que explica que o casting envolveu um "jogo" no qual a direção colocava dinheiro em frente a crianças, lhes perguntava para que usariam a quantia e depois tirava o montante para provocar uma reação. Em sua defesa, a atriz afirmou que acha "perturbador" que suas palavras tenham sido mal interpretadas.

Jolie se apaixonou pelo Camboja depois de filmar "Tomb Raider" no país em 2000. Pouco depois de terminar a produção, ela voltou como voluntária para a Agência dos Refugiados da ONU, o ACNUR. Em 2002, ela adotou seu primeiro filho, Maddox, de um orfanato de Battambang. Ao lado do irmão Pax Thien, do Vietnã, ele ajudou a mãe na produção do longa, realizando pesquisas. "Ele me disse que estava pronto e que ele queria trabalhar nele, o que ele fez. Leu o roteiro, ajudou com notas e estava nas reuniões de produção", disse a atriz recentemente ao The Guardian.

publicidade

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895