Flip fica de fora do edital de feiras literárias do governo federal
capa

Flip fica de fora do edital de feiras literárias do governo federal

Feira do Livro de Porto Alegre foi classificada na categoria de projetos e deve receber R$ 500 mil

Por
AE

Flip é considerada um dos principais eventos literários do País e recebe escritores do mundo todo

publicidade

Depois de escolher a poeta americana Elizabeth Bishop como a autora homenageada de 2020, o que gerou muita polêmica e revolta no meio literário por sua defesa do golpe de 64, a Festa Literária Internacional de Paraty (FLIP) acaba de sofrer um novo revés: perdeu o Edital de Feiras e Ações Literárias da Secretaria da Economia da Cultura. A Flip se classificou em terceiro lugar na categoria de projetos de R$ 500 mil (são três categorias). Mas apenas os dois primeiros colocados vão receber o investimento. São eles: Feira do Livro de Porto Alegre e Feira Internacional do Livro de Ribeirão Preto. Os dois projetos tiveram 46 pontos no total. A Flip teve 44 e foi seguida pela Bienal do Livro de São Paulo e Bienal Brasil do Livro e Leitura, de Brasília - elas receberam 42 pontos cada uma.

No ano passado, a Flip ficou em segundo lugar e ganhou o edital - a feira de Ribeirão foi a primeira colocada naquele ano. Entre os objetivos estão ampliar o acesso ao livro e à leitura nos municípios brasileiros; promover, valorizar e difundir a literatura brasileira e a circulação de autores e obras com ênfase na bibliodiversidade; ampliar a oferta de formação e difusão do conhecimento voltada para os profissionais que atuam no setor (escritores, ilustradores, editores, livreiros, mediadores, bibliotecários, entre outros); fortalecer a cadeia produtiva e a economia do livro; estimular a formação de leitores e práticas de leitura; e contribuir com a sustentabilidade econômica de profissionais, pequenas e médias editoras e livrarias, entre outros empreendimentos do setor.

O chamamento público foi publicado no dia 11 de outubro. O processo de seleção, segundo o edital, ocorreu entre os dias 11 e 16 de novembro. Nos bastidores, questiona-se se a escolha de Elizabeth Bishop teria tido alguma influência na decisão. Segundo o edital, a comissão de seleção é formada por "membros de reconhecida atuação na área cultural e capacidade de julgamento".

A Flip é considerada um dos principais eventos literários do País e recebe escritores do mundo todo para debater literatura e todo tipo de assunto. Segundo o edital, são cinco critérios de avaliação, incluindo histórico do evento e impacto social e econômico, e, segundo a assessoria de imprensa da Secretaria da Economia da Cultura, essa comissão de seleção é formada por servidores da Cultura. São eles: Ana Cristina Araruna Melo (DLLLB/SEC/SECULT), Ana Maria da Costa Souza (DLLLB/SEC/SECULT), Andrea Santos Guimarães (DEPEC/SEC/SECULT), Juliana Andrade (DLLLB/SEC/SECULT), Marcus André Chagas Rocha (DLLLB/SEC/SECULT), Maria Lídice Pimentel Borges (DLLLB/SEC/SECULT), Nayara Fátima Macedo de Medeiros Albrecht (DLLLB/SEC/SECULT), Nelma Elisa de Freitas (DLLLB/SEC/SECULT) e Ricardo Prates Bassi (DEPEC/SEC/SECULT).

Este ano, segundo o extinto MinC, que fez uma pesquisa em parceria com a Fundação Getúlio Vargas, a Flip gerou um impacto de R$ 47 milhões.

Flip

Em um comunicado, a Flip explicou a escolha da escritora Elizabeth Bishop como homenageada da festa literária:

"Festa Literária Internacional de Paraty é uma celebração da literatura, mas sua ação se estende a outros campos culturais. A Flip atua junto à cidade que a abriga e lança pontes com a comunidade internacional de escritores. Essa é a sua vocação. Nos últimos anos, a festa tem se transformado em um encontro cada vez mais agregador, com programação diversificada e inclusiva, abrindo-se a múltiplos pontos de vista. Isso ocorreu pelo aprofundamento da comunicação e da escuta com seu público e em função de uma demanda nacional crescente. Em 25 de novembro, a Flip anunciou a autora homenageada de 2020, a escritora Elizabeth Bishop (1911-1979), segura de sua missão - tornar a arte brasileira melhor conhecida em suas fronteiras e no resto do mundo. Reconhecida como uma das maiores poetas do século 20, Bishop - que viveu por quase 20 anos no nosso país - foi uma das grandes responsáveis pela divulgação da literatura brasileira em terras estrangeiras. Sua relevância para o Brasil e para a literatura foram, portanto, as razões essenciais para sua escolha. No mais, entendemos que ambiguidades e contradições são constitutivas de todo artista, fazem parte da condição humana e devem ser debatidas e criticadas na medida de sua relevância para a compreensão das obras de arte. Sabemos que a escolha da autora ou do autor a merecer a homenagem em cada edição nunca é uma unanimidade, pois a lista de merecedores é vasta. A boa polêmica faz parte do espírito da festa. No entanto, a campanha lançada contra a poeta nas redes sociais logo após o anúncio foi bastante expressiva e chamou nossa atenção e escuta. Estamos ouvindo as manifestações de todos e pensando em seu significado com a serenidade que essa questão merece." 

Outros projetos apoiados

Seis eventos vão receber apoio de R$ 125 mil: Festival Literário Nísia Floresta, Salão do Livro Infantil e Juvenil de Minas Gerais, Feira do Livro de Resende, Mostra Candeia, Primavera Literária e Feira do Livro de Arroio do Meio. Já na categoria R$ 250 mil, os três projetos selecionados foram: Salão do Livro de Imperatriz, Festa Literária Internacional do Xingu e Bienal do Livro de Volta Redonda.