"Fui estuprada, drogada e mantida em cativeiro", revela Duffy no Instagram
capa

"Fui estuprada, drogada e mantida em cativeiro", revela Duffy no Instagram

Cantora britânica não disse quando foi o sequestro nem se o criminoso está preso

Por
AE

Cantora revelou sobre o seu sumiço da vida pública em um post no Instagram nessa terça-feira

publicidade

A cantora britânica Duffy, que fez sucesso com o hit "Mercy", em 2008, falou pela primeira vez sobre o motivo para ter se afastado por anos das câmeras e da vida pública. “Fui estuprada, drogada e mantida em cativeiro por vários dias”, revelou em uma publicação no Instagram nesta terça. 

Ela não informou quando nem onde teria sido vítima do sequestro e do estupro, mas que é “emocionante e libertador” poder compartilhar sua experiência. Também não deu detalhes se o agressor está preso.

Duffy disse que “a recuperação demorou” e que “não há forma tranquila de falar sobre o assunto.” “Muitos têm me perguntado os motivos para eu ter me afastado”, admitiu a cantora em seu Instagram. 

A artista se destacou no mundo musical em 2008 ao lançar seu primeiro álbum, "Rockferry", que ganhou o Grammy de 2009 como Melhor Álbum. O trabalho foi aclamado pela mídia e a fez ser comparada com estrelas da época como Amy Winehouse e Adele.

Seu segundo álbum, "Endlessly", foi lançado em 2010 e não obteve o mesmo sucesso de sua obra anterior. Ela, então, se retirou da vida pública e, nos últimos nove anos, realizou apenas um papel no filme "Legend" em 2015.

“Nos milhares de dias da última década eu me comprometi a voltar a desejar a luz em meu coração novamente. O sol agora brilha”, escreveu em sua rede social.

“Por que não decidi usar minha voz para expressar minha dor? Não queria mostrar ao mundo a dor em meus olhos”, justificou Duff. “Me perguntei: como posso cantar do fundo do coração se ele está partido?”

“Acreditem que estou bem e segura agora”, tranquilizou a cantora. Ela informou que foi procurada por um jornalista e que lhe contou a história completa. “Ele foi amável e eu me senti tão incrível por poder falar.”

Duffy ainda antecipou que uma entrevista será publicada nas próximas semanas na qual dará mais detalhes do que aconteceu e responderá a algumas perguntas. “Peço que entendam que esta é uma decisão para mim mesma, e não quero que invadam a privacidade da minha família. Por favor, preciso de apoio para fazer disto uma experiência positiva”, finalizou.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

You can only imagine the amount of times I thought about writing this. The way I would write it, how I would feel thereafter. Well, not entirely sure why now is the right time, and what it is that feels exciting and liberating for me to talk. I cannot explain it. Many of you wonder what happened to me, where did I disappear to and why. A journalist contacted me, he found a way to reach me and I told him everything this past summer. He was kind and it felt so amazing to finally speak. The truth is, and please trust me I am ok and safe now, I was raped and drugged and held captive over some days. Of course I survived. The recovery took time. There’s no light way to say it. But I can tell you in the last decade, the thousands and thousands of days I committed to wanting to feel the sunshine in my heart again, the sun does now shine. You wonder why I did not choose to use my voice to express my pain? I did not want to show the world the sadness in my eyes. I asked myself, how can I sing from the heart if it is broken? And slowly it unbroke. In the following weeks I will be posting a spoken interview. If you have any questions I would like to answer them, in the spoken interview, if I can. I have a sacred love and sincere appreciation for your kindness over the years. You have been friends. I want to thank you for that x Duffy Please respect this is a gentle move for me to make, for myself, and I do not want any intrusion to my family. Please support me to make this a positive experience.

Uma publicação compartilhada por @ duffy em