Grupo de Bagé recebe mostra na Fundação Iberê
capa

Grupo de Bagé recebe mostra na Fundação Iberê

Exposição sobre os artistas segue até 1° de março de 2020

Por
Correio do Povo

Mostra na fundação promete ser a maior sobre os artistas nos últimos 20 anos

publicidade

Prometida como a maior mostra Grupo de Bagé já realizada nos últimos 20 anos, a exposição “Grupo de Bagé - Os Quatro” apresenta 180 obras de Carlos Scliar, Danúbio Gonçalves, Glauco Rodrigues e Glênio Bianchetti. Também serão apresentadas ilustrações dos clubes de Gravura de Bagé e Porto Alegre, livros e exemplares raros das revistas Horizonte, Senhor e Globo, e obras de escritores e artistas que gravitavam no entorno do quarteto, como Pedro Wayne, José Moraes e Clóvis Assumpção. 

A mostra, que abre neste sábado, 14h, na Fundação Iberê (Padre Cacique, 2000), fecha o programa expositivo do ano da instituição, celebrando o grupo de artistas gaúchos que foi fundamental na popularização da arte no Brasil e no exterior. Trata-se de uma retrospectiva de diversas fases da vida e obra dos artistas, ocupando dois andares da Fundação, com 180 obras – 47 de Scliar, 54 de Danúbio, 35 de Glauco e 36 de Glênio, além de ilustrações, livros e exemplares raros de revistas da época. 

A Fundação Iberê e as curadoras Carolina Grippa e Caroline Hädrich iniciaram em março uma ampla pesquisa de documentação, reportagens e cartas, reunindo trabalhos oriundos de 24 instituições e acervos particulares de Bagé, Porto Alegre, Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília. “Contar essa história é o objetivo principal da mostra, mas com nova e ampliada abordagem.

Novas leituras e percepções acerca do trabalho do Grupo, frutos de estudos e documentários realizados por diversos pesquisadores do Estado, estarão refletidas no cenário da exposição. “Não apenas trabalhos de Scliar, Danúbio, Glauco e Glênio, mas nomes como Lila Ripoll, Pedro Wayne e Clovis Assumpção aparecerão para contar mais sobre a trajetória e as influências desses artistas de Bagé”, destacam as curadoras.

Neste sábado, às 16h, o jornalista Roger Lerina conduz a visita à exposição com dois convidados que conviveram com os artistas: o ator Sapiran Brito e o escritor Deny Bonorino que, nos anos 40 e 50, fez parte do Grupo de Bagé. A música será da violinista Clarissa Ferreira. A mostra segue até 1° de março de 2020.