Imagine Dragons faz show fraco, mas com mensagem poderosa no Palco Mundo

Imagine Dragons faz show fraco, mas com mensagem poderosa no Palco Mundo

Durante apresentação, vocalista da banda abordou questões pessoais como depressão e ansiedade

AE

Dan Reynolds embalou público no penúltimo show do festival

publicidade

Conhecida como a banda de rock de maior sucesso da era do streaming, o Imagine Dragons fez um show pop para fãs apaixonados, praticamente encerrando o Rock in Rio 2019 (o Muse, derradeiro grupo a se apresentar no Palco Mundo, veio logo em seguida). Mistura de Coldplay, Arcade Fire, Linkin Park, Paul Simon, Elton John, Empire of the Sun, Mumford and Sons e trilha sonora de videogames, a banda faz um apresentação que tem algum nível de intensidade e vários coros da plateia, mas que raramente oferece uma identificação própria para o fã exigente.

No show anterior, o vocalista do Nickelback falou que houve uma "festinha" no dia anterior com os integrantes das três bandas que fecharam a noite, regada a whisky. O vocalista Dan Reynolds, porém, não demonstrou sinais claros de ressaca durante o show desse domingo.

Ele compartilha durante a apresentação que seu pai viveu no Rio há 50 anos, e que nunca tinha voltado - mas ele estava no show do domingo - e que eles sempre bebiam guaraná assistindo aos jogos da seleção canarinho. "O destino me preparou para estar nesse palco do Rock in Rio em 2019", disse. "Eu poderia morrer hoje e estaria feliz", diz em outro momento. "Eu amo vocês." "Tudo bem?" "Cantem!" são outras expressões da cartilha do roqueiro de arena que ele distribui durante o show.

Em um raro momento profundo, Reynolds fala sobre o suicídio de um amigo, visivelmente emocionado. "Muita gente aqui perdeu pessoas amadas, então essa canção é para vocês e para elas. Vamos lembrá-los para sempre", diz, antes de "Birds", uma canção do disco mais recente, Origins (2018), e que não estava no setlist divulgado previamente.

Motivação no discurso

Comunicativo e com discursos motivacionais aparentemente inspirados em livros de autoajuda, Reynolds (o único membro original do Imagine Dragons em 10 anos de banda) é um vocalista carismático e de alcance vocal elástico, que se entrega no palco. Mesmo assim é difícil entender por que a banda arrasta tanta gente. Em turnê com o disco Origins, o grupo atravessa uma fase boa na carreira, sendo apontado pelo Spotify como o artista de rock mais escutado de 2018, com cerca de 38 milhões de ouvintes mensais.

O Imagine Dragons surgiu para o grande público em 2012, quando foi lançado Night Visions, primeiro álbum do grupo que emplacou o hit "Demons" e o sucesso "Radioactive" (a última do show), que garantiu à banda o Grammy por Melhor Performance de Rock na premiação de 2014. "Quero deixar uma mensagem para vocês: a vida de vocês vale a pena viver!", diz o vocalista já encaminhando o fim do show.

"Fui diagnosticado com depressão e ansiedade muitos anos atrás. Isso não significa que eu sou fraco. Tem muita gente aí vivendo assim. Entenda que a sua vida vale muito e não vale a pena tirá-la de nós!" É nos momentos que fala da depressão que Reynolds é mais verdadeiro - o que faz do show, mesmo que musicalmente fraco, uma transmissão poderosa. 


publicidade

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895