Livro “Trajetória da Crítica de Cinema no Brasil” é lançado em seminário em Porto Alegre
capa

Livro “Trajetória da Crítica de Cinema no Brasil” é lançado em seminário em Porto Alegre

Obra reúne a história do desenvolvimento do exercício da crítica de cinema em 23 dos 27 estados do País

Por
Correio do Povo

Livro é lançamento da Editora Letramento

publicidade

O Seminário Internacional “O Estado da Crítica” promove, em Porto Alegre, o encontro com grandes profissionais brasileiros e com o francês Jean-Michel Frodon, que exerceu a função de crítico no jornal Le Monde e foi editor-chefe da icônica revista Cahriers du Ciném”. A abertura ocorre nesta sexta-feira na sede Unisinos Porto Alegre (av. Dr. Nilo Peçanha, 1600), às 20h, com a palestra de Frodon sobre “Crítica Cinematográfica Atual: jogos culturais e políticos e suas relações com a internet”.

O evento comemora os dez anos da Associação dos Críticos de Cinema do Rio Grande do Sul (ACCIRS) e é realizado em parceria com a Unisinos (a entrada é gratuita, mas é preciso se inscrever pelo site da Unisinos). No sábado, seguem mesas temáticas, a partir das 9h30min, na Unisinos Porto Alegre. Pela manhã, participam Andrea Ormond (RJ), José Geraldo Couto (SP) e Kênia Freitas (DF). A partir das 14h30min, será a vez de Ivonete Pinto (RS), Sérgio Alpendre (SP) e Paulo Henrique Silva (MG). Em pauta, questões como “Tensões contemporâneas do pensamento crítico”.

Ao final do evento, 17h30min, será lançado, no Espaço Unisinos (2º andar), o livro “Trajetória da Crítica de Cinema no Brasil”, organizado pelo jornalista e presidente da Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine), Paulo Henrique Silva. O livro, lançamento da Editora Letramento, é resultado de um trabalho inédito, que reúne a história do desenvolvimento do exercício da crítica de cinema em 23 dos 27 estados do País. Neste levantamento, que envolveu 34 autores, se percebe que o início da crítica é concomitante à abertura das primeiras salas de exibição, no início do século passado. Integra o livro uma parte dedicada à crítica gaúcha, escrita por Fatimarlei Lunardelli, atual vice-presidente da ACCIRS.

Conforme a pesquisadora, a crítica no Estado é das mais precoces fora do eixo central do País. “Junto com o ciclo de Pelotas, nos anos dez, tivemos Pery Ribas, pioneiro na defesa do cinema brasileiro. Nosso crítico mais importante foi P. F. Gastal, figura de projeção nacional que deixou o legado do crítico como agente cultural. Atuando no Clube de Cinema, no Festival de Gramado e nos jornais da Caldas Jr., dizia que era preciso trabalhar pelo cinema, divulgar, chamar atenção para os bons filmes.

A cultura cinematográfica e a cinefilia porto-alegrenses devem muito a esse espírito de Gastal que, ainda hoje, inspira a atividade dos críticos nos espaços de mídia, na programação das salas alternativas e até no pioneirismo da associação de críticos, fundada em 2008”, diz.