capa

Luta por direito igualitário é tema de estreias no cinema

Um dos filmes é “Suprema”, baseado em Ruth Bader Ginsburg, uma das primeiras mulheres a integrar a Suprema Corte Americana

Por
Correio do Povo

Felicity Jones interpreta a popular juíza, que hoje tem 85 anos

publicidade

Os lançamentos nos cinemas, a partir de hoje, trazem filmes de diferentes gêneros. “Suprema” é baseado na vida de Ruth Bader Ginsburg, uma das primeiras mulheres a fazer parte da Suprema Corte Americana. Ela se tornou um símbolo da luta pelos direitos iguais e hoje, aos 85 anos, ainda é referência, inclusive para as gerações atuais. Dirigido por Mimi Leder (“A Corrente do Bem”) e protagonizado por Felicity Jones (“A Teoria de Tudo”), o filme acompanha a trajetória da então jovem advogada que, ao lado de seu marido, Marty (Armie Hammer), apresenta um caso inovador ao Tribunal de Apelações dos EUA.

“Mal Nosso”, de Samuel Galli, é um filme terror nacional sobre homem que tenta proteger a filha de entidade demoníaca. Para isso, contrata um serial killer. “Maligno”, de Nicholas McCarthy (EUA), acompanha a repentina mudança no comportamento do garoto Miles (Jackson Robert Scott). Isso faz sua mãe, Sarah (Taylor Schilling), suspeitar de que algo maligno está agindo sobre seu filho e investiga o que é. Somente na Cinemateca Capitólio Petrobras (Rua Demétrio Ribeiro, 1085), começa hoje a mostra Cinema da América Latina.

Hoje a atração será o filme o mexicano “Compra-me um Revólver”, de Julio Hernández Cordón, sobre uma garota que usa uma máscara para esconder seu gênero em um futuro não muito distante. Na trama, as mulheres estão desaparecendo. A menina ajuda o pai a cuidar de uma quadra esportiva utilizada por traficantes. O pai tenta protegê-la como ele pode. Ela se alia a amigos que se camuflam no deserto. A Cinemateca Capitólio também comemora o aporte que possibilitou a compra de equipamentos que proporcionam acessibilidade completa (libras, audiodescrição e legenda descritiva).