Músico argentino é condenado a 22 anos de prisão por abuso sexual de menores

Músico argentino é condenado a 22 anos de prisão por abuso sexual de menores

Cristian Aldana foi sentenciado em quatro processos

AFP

É a primeira vez que um músico da Argentina é preso por abusar sexualmente os fãs

publicidade

A justiça argentina condenou a 22 anos de prisão, nessa sexta-feira, Cristian Aldana, líder do grupo de rock El Otro Yo, por quatro casos de abuso sexual e corrupção de menores. É a primeira vez no país em que um integrante de uma banda musical é levado a julgamento pelo crime.

• R. Kelly é detido por posse de pornografia infantil

O músico, de 48 anos, foi julgado por sete casos de abuso sexual de fãs menores de idade ocorridos entre 1999 e 2010. Cerca de 100 testemunhas declararam contra ele durante 14 meses de audiências.

A condenação foi comemorada pelas vítimas e por grupos feministas presentes na sala do tribunal, em Buenos Aires. "É uma quantidade de anos que estabelece um precedente nos casos de abuso sexual na infância e de violência de gênero. Ajudam outras mulheres a falar sem culpa e denunciar quem as violentou", disse a jornalistas Ariel Carolina, uma das vítimas. 


publicidade

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895