Morre o ator Luis Gustavo, aos 87 anos

Morre o ator Luis Gustavo, aos 87 anos

Informação foi confirmada pelo sobrinho, Cassio Gabus Mendes

R7

Ator Luis Gustavo foi vítima de câncer

publicidade

O ator Luis Gustavo morreu na manhã deste domingo (19), aos 87 anos, em Itatiba (SP). Ele lutava contra um câncer no intestino. A informação foi revelada e lamentada por Cássio Gabus Mendes no Instagram. "Informo que meu querido Tatá faleceu hoje, vítima de câncer! Descanse na luz e na paz!!", escreveu o ator.

Nascido em Gotemburgo, na Suécia, Luis Gustavo era filho de um diplomata espanhol, Luis Amador Sánchez Fernández, a trabalho naquele país, e de Elena Blanco Castañera, uma espanhola de origem humilde. Luis Gustavo veio para o Brasil ainda quando criança.

Iniciou sua carreira artística como contrarregra através de seu cunhado Cassiano Gabus Mendes, então diretor artístico da TV Tupi.

Pouco tempo depois, já havia participado de diversos filmes, telenovelas e teleteatros até estrelar o anti-herói em Beto Rockfeller de Bráulio Pedroso, considerada a primeira novela moderna no formato que dura até a atualidade. Desde então, consolidou a sua carreira artística atuando em diversas telenovelas e filmes.

Alguns personagens dos mais marcantes de Luis como ator foram o costureiro Ariclenes Almeida/Victor Valentin em Ti Ti Ti, o músico cego Léo em Te Contei? e o playboy Ricardo em Anjo Mau, todas escritas por Cassiano Gabus Mendes.

Também deu vida ao radialista corrupto Juca Pirama em O Salvador da Pátria, de Lauro César Muniz. Mas o personagem mais memorável do ator foi o atrapalhado detetive particular Mário Fofoca em Elas por Elas, também de Cassiano, que depois estrelaria com este mesmo personagem um seriado homônimo e o filme As Aventuras de Mário Fofoca.

Em 1989 fez uma participação especial muito importante na novela Que Rei Sou Eu? interpretando o pai do futebol brasileiro Charles Muller. Durante vários anos, Luis atuou ainda como Vanderlei Mathias, o "Vavá", no programa humorístico dominical da Rede Globo Sai de Baixo.


publicidade

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895