Morre o escritor, advogado e jornalista Antônio Carlos Resende

Morre o escritor, advogado e jornalista Antônio Carlos Resende

Natural de Cachoeira do Sul, Resende morreu neste sábado vítima de um infarto

Correio do Povo

publicidade

O escritor, jornalista, advogado e locutor esportivo Antônio Carlos Resende, de 85 anos, morreu no início da tarde deste sábado no Instituto de Cardiologia vítima de um infarto. O velório ocorre neste domingo no Cemitério São Miguel e Almas e o sepultamento está marcado para as 11h30min.

Antônio Carlos Trommer de Resende nasceu em Cachoeira do Sul no dia 27 de abril de 1929. Apaixonado pela literatura na infância, Resende lançou o primeiro livro em 1977, denominado “Magra, mas não muito, as pernas sólidas, morena”. Dois anos depois publicou “O rapaz que suava só do lado direito” e O louva-a-deus, 1980. A última obra publicada foi em 2012, “Dançando com o Destino”.

No rádio, Antônio Carlos Resende iniciou com 15 anos no serviço de alto-falantes que Oscar Chaves Garcia, pai do Alexandre Garcia, gerenciava em Cachoeira do Sul. Após concluir o primeiro grau, foi estudar em Porto Alegre, mas nas férias trabalhava com locutor comercial na Rádio Cachoeira. Em 1949 foi convidado por Cândido Norberto para trabalhar na Rádio Gaúcha fazendo locuções comerciais.

Nos anos 50 começou a narrar futebol e criou um modo peculiar de transmitir aumentando os tons da voz gradativamente, do mais grave para o mais agudo. Pela qualidade do seu trabalho passou por diversas rádios do Estado e do Brasil, como a Nacional do Rio de Janeiro. Em 1965, deixou a Difusora para trabalhar com o Pedro Pereira na Rádio Guaíba, onde narrou a Copa do Mundo de 1966.

Resende se mudou para o Rio de Janeiro em 1970, quando trabalhou na Rádio Nacional. Cinco anos depois, retornou ao Rio Grande do Sul para assumir a direção da TVE. A tensão de comandar a rede estatal de televisão fez com que o radialista tivesse um ataque cardíaco e, desde então, Antônio Carlos passou a se dedicar exclusivamente a literatura.


publicidade

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895