Morre o músico Telmo de Lima Freitas

Morre o músico Telmo de Lima Freitas

Nativista tinha 88 anos

Telmo de Lima Freitas marcou a música nativista

publicidade

O músico gaúcho Telmo de Lima Freitas morreu aos 88 anos, em Cachoeirinha, na tarde desta quinta-feira, 18. A informação foi confirmada pela filha do artista, Ione Freitas, e divulgada em nota de pesar pelo MTG, onde era conselheiro honorário. A causa da morte ainda não foi divulgada. O prefeito de Cachoeirinha, Miki Breier, vai decretar luto oficial na cidade de três dias.

Nascido em São Borja, era filho do oficial do exército Leonardo Francisco Freitas e de Mariana de Lima Freitas. Desde cedo demonstrou talento para carreira musical. Aos 14 anos, participou do grupo Quarteto Gaúcho. Compositor, cantor e instrumentista, seu primeiro disco, intitulado "O Canto de Telmo de Lima Freitas", foi lançado em 1973. Morou durante anos em Uruguaiana e outras cidades do interior como por exemplo Itaqui, durante 4 anos aonde se aposentou como agente da Polícia Federal.

Com seus amigos Edson Otto e José Antônio Hahn, criou o grupo Os Cantores dos Sete Povos, com o qual conquistou o troféu Calhandra de Ouro da Califórnia da Canção Nativa de Uruguaiana, em 1979, com a canção "Esquilador", marco em sua trajetória. Com o grupo, Telmo participou das 11 primeiras edições do festival. Em 1980, lançou "Alma de Galpão". Com o álbum "A Mesma Fuça", recebeu o Troféu Açoriano em duas categorias: melhor compositor e melhor CD regional. É autor do livro de poesias crioulas "De Volta ao Pago", lançado pela Editora Treze de Maio. Em 2006, o músico gravou em Porto Alegre uma compilação de suas composições, denominada Aparte, com participação de familiares. Ele foi patrono da Semana Farroupilha em 2009.

O prefeito de Uruguaiana, Ronnie Mello, decretou luto oficial de três dias pela morte do músico, que no final dos anos 1980 foi secretário de Cultura do município, ondeantes ele havia morado quando exercia suas funções na Polícia Federal. 

 


publicidade

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895